Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal

MOVIMENTOS CRISTÃOS II

LEONARDO BOFF   <voltar ao índice dos espiritualistas>

Leonardo Boff, pseudônimo de Genézio Darci Boff (Concórdia, 14 de dezembro de 1938), é um teólogo brasileiro, escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Menores, mais conhecidos como Franciscanos. É respeitado pela sua história de defesa pelas causas sociais e atualmente debate também questões ambientais.

Biografia

Leonardo Boff ingressou na Ordem dos Frades Menores em 1959 e foi ordenado sacerdote em 1964. Em 1970, doutorou-se em Filosofia e Teologia na Universidade de Munique, Alemanha. Ao retornar ao Brasil, ajudou a consolidar a Teologia da Libertação no país. Lecionou Teologia Sistemática e Ecumênica no Instituto Teológico Franciscano em Petrópolis (RJ) durante 22 anos. Foi editor das revistas Concilium (1970-1995) (Revista Internacional de Teologia), Revista de Cultura Vozes (1984-1992) e Revista Eclesiástica Brasileira (1970-1984).

Seus questionamentos a respeito da hierarquia da Igreja, expressos no livro Igreja, Carisma e Poder, renderam-lhe um processo junto à Congregação para a Doutrina da Fé, então sob a direção de Joseph Ratzinger, hoje Papa Bento XVI. Em 1985, foi condenado a um ano de "silêncio obsequioso", perdendo sua cátedra e suas funções editoriais no interior da Igreja Católica. Em 1986, recuperou algumas funções, mas sempre sob severa vigilância. Em 1992, ante nova ameaça de punição, desligou-se da Ordem Franciscana e pediu dispensa do sacerdócio. Sem que esta dispensa lhe fosse concedida, uniu-se, então, à educadora popular[1] e militante dos direitos humanos Márcia Monteiro da Silva Miranda, divorciada e mãe de seis filhos. Boff afirma que nunca deixou a Igreja: "Continuei e continuo dentro da Igreja e fazendo teologia como antes", mas deixou de exercer a função de padre dentro da Igreja,.[2][3]

Sua reflexão teológica abrange os campos da Ética, Ecologia e da Espiritualidade, além de assessorar as Comunidades Eclesiais de Base (CEBs) e movimentos sociais como o MST. Trabalha também no campo do ecumenismo.

Em 1993 foi aprovado em concurso público como professor de Ética, Filosofia da Religião e Ecologia na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, onde é atualmente professor emérito.

Foi professor de Teologia e Espiritualidade em vários institutos do Brasil e exterior. Como professor visitante, lecionou nas seguintes instituições: de Universidade de Lisboa (Portugal), Universidade de Salamanca (Espanha), Universidade Harvard (EUA), Universidade de Basel (Suíça) e Universidade de Heidelberg (Alemanha). É doutor honoris causa em Política pela universidade de Turim, na Itália, em Teologia pela universidade de Lund na Suécia e nas Faculdades EST – Escola Superior de Teologia em São Leopoldo (Rio Grande do Sul). Boff fala fluentemente alemão.

Sua produção literária e teológica é superior a 60 livros, entre eles o best-seller A Águia e a Galinha. A maioria de suas obras foram publicadas no exterior.

Atualmente, viaja pelo Brasil dando palestras sobre os temas abordados em seus livros e tambem em encontros da Agenda 21. Vive em Petrópolis (RJ) com a educadora popular Márcia Miranda.

Obras selecionada:

·         O evangelho do Cristo Cósmico. Petrópolis: Vozes, 1971.

·         A Águia e a Galinha. Petrópolis: Vozes, 2002.

·         O caminhar da igreja com os oprimidos - Do vale das lágrimas à terra prometida. Rio de Janeiro: Codecri, 1981.

·         Casamento entre o céu e a terra. Rio de Janeiro: Salamandra, 2001.

·         Experimentar Deus. A transparência de todas as coisas, Campinas: Verus, 2002.

·         São José, a personificação do Pai. Campinas: Verus, 2005.

·         Igreja: carisma e poder. Ensaios de uma eclesiologia militante. São Paulo: Record, 2005.

·         Ética da vida. Rio de Janeiro: Sextante, 2005.

·         A força da ternura. Pensamentos para um mundo iguaitário, solidário, pleno e amoroso. Rio de Janeiro: Sextante, 2006.

·         Masculino e Feminino. Experiências vividas. Rio de Janeiro: Record, 2007.

·         Homem: Satã ou Anjo Bom. Rio de Janeiro: Record, 2008.

·         Ecologia, Mundialização, Espiritualidade. Rio de Janeiro: Record, 2008.

·         O Evangelho do Cristo cósmico. A busca da unidade do Todo na ciência e na religião. Rio de Janeiro: Record, 2008.

·         Eclesiogênese: a reinvenção da Igreja. Rio de Janeiro: Record, 2008.

Referências

1.    Boff e o líder católico. Revista Isto é Online de 16/05/2007

2.    Entrevista ao jornal O Tempo

3.    Frei Betto: Leonardo Boff, místico da terra. Página Amai-vos, acessada em 7 de janeiro de 2009.

Bibliografia

·         Guimarães, J: Leituras críticas sobre Leonardo Boff. Editora: EFPA e Editora UFMG, 2008. ISBN 9788576430650

Wikipédia

 

 

PADRE QUEVEDO    <voltar ao índice dos espiritualistas>

Óscar González-Quevedo, conhecido como Padre Quevedo, (Madri, 15 de dezembro de 1930) é um padre jesuíta espanhol radicado no Brasil desde a década de 1950. Professor universitário de parapsicologia na UNISAL e no Centro Latino-Americano de Parapsicologia (CLAP), é formado na Faculdade de Comillas, na Espanha, doutor em Teologia formado na Faculdade de Nossa Senhora de Assunção, em São Paulo, e autor de diversos livros entro os mais famosos A Face Oculta da Mente e Antes que os Demônios Voltem.[1] Sempre polêmico, defende a base cientifica dos fenômenos paranormais, renegando qualquer hipótese de intervenção do além.

Nascimento

15 de dezembro de 1930 
Madri, Espanha

Nacionalidade

Espanhol (nascimento)
Brasileiro (naturalização)

Ocupação

Padre
Parapsicólogo
Professor universitário
Palestrante

 

Vocação

Ao estudar Humanidades Clássicas na Universidade de Salamanca ao norte da Espanha, descobriu sua vocação religiosa, a seguir se formou em Filosofia e Psicologia na Universidade de Santander e decidiu ir para um seminário jesuíta. Nesse tempo aprofundou seus estudos sobre o “Além”, particularmente sobre magia e ilusionismo e acabou se tornando conhecido no campus da faculdade.

Brasil

O então reitor da Faculdade de Filosofia, Padre Vicente González, conhecendo o interesse de Quevedo pelo ocultismo, recomendou que o mesmo viesse para o Brasil, que na Europa era visto campo fértil para pesquisadores do sobrenatural. Quevedo desembarcou no Rio de Janeiro e foi para um seminário em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul, e em 1961 é ordenado Padre.

Mais tarde decidiu morar em São Paulo, por causa da Faculdade Anchieta, vinculada a comunidade Jesuíta. Funda então, a 11 de Maio de 1970, o CLAP - Centro Latino-Americano de Parapsicologia - que dirige até hoje, dedicando-se ao estudo, pesquisa e difusão da Parapsicologia, tema em que hoje é um dos maiores especialistas do mundo[3], para tanto lê, fala e escreve fluentemente outros quatro idiomas, latim, grego, hebraico, português e Espanhol. Passa os dias pesquisando em sua biblioteca com mais de 10 mil volumes que reuniu, leciona um curso de pós graduação e presta atendimento a pessoas com distúrbios psíquicos, saindo somente dali para ministrar cursos e palestras sobre parapsicologia. No CLAP mantém um museu da Parapsicologia, que coleciona objetos usados em rituais de ocultismo, esoterismo, cultos afro-brasileiros, Padre Quevedo costuma dizer que a única coisa anormal que poderia encontrar lá, seria alguma sala sem a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, da qual é devoto.

Polêmica

Quando chegou ao Brasil, surgiram dificuldades e mal entendidos, e sofreu pressões por oito anos. Um de seus superiores achou que Parapsicologia era herética, o mandou ficar em silêncio e proibiu a venda de seu livro “Antes que os Demônios Voltem”. Ficou em silêncio por seis anos até que fora chamado a Roma para se explicar, e no final foi compreendido, hoje tem apoio dos Jesuítas e também dos bispos. A CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) solicita-o ministrar anualmente curso de parapsicologia para sacerdotes e agentes de pastoral[4].

O Caçador de Enigmas

Por ser um especialista em parapsicologia, já tinha sido entrevistado por Jô Soares e Gugu Liberato, assim como se apresentado em outros programas de auditório e noticiários, mas ficou conhecido principalmente por sua série dentro do programa Fantástico, “O caçador de Enigmas”, no qual tinha como função desvendar truques e supostos fenômenos sobrenaturais e mostrar a provável origem meramente parapsicológica dos fenômenos por trás das demais religiões. O programa sucedeu o de Mr. M, e o objetivo inicial era que Quevedo fizesse o personagem cujo título seria "Mr. Q".

Porém negou, mesmo porque seu superior, José Antônio Netto, da Ordem dos Jesuítas era contra a associação da imagem do padre com a do mágico estadunidense.

Se tornou uma figura popular, por seus debates polêmicos, sua postura firme e, principalmente, seu sotaque carregado, o que lhe garantiu diversos bordões, sendo o mais famosos o “Isso non ecziste!”.[5][Nota 1]

 

Publicações

·         O que é parapsicologia;

·         A face Oculta da Mente;

·         As Forças Físicas da Mente;

·         O Poder da mente na cura e na doença;

·         Antes que os demônios voltem, Loyola;

·         Os Espíritos e os Fenômenos Parafísicos;

·         Há provas de que os mortos agem?;

·         Identificação dos mortos?;

·         As provas da ciência;

·         Palavra de Iahweh;

·         Nossa Senhora de Guadalupe;

·         Milagres - A Ciência Confirma a Fé;

·         Os Milagres e a Ciência;

·         Milagres na história da Igreja;

Referências na cultura popular

No filme Como Consolar Viúvas, José Mojica Marins faz uma paródia ao Padre Quevedo com o personagem Padre Levedo, que é um padre exorcista com sotaque espanhol.

No programa Casseta & Planeta, Urgente!, teve como parodia o “Padre Que-dedo, o coçador de enigmas”.

No programa Hermes e Renato, foi parodiado como “Padre Que-medo”.

O site Desciclopédia usa muito um dos bordões de Padre Quevedo: Isso non ecziste

 

Notas e referências

Notas

1.    A popularidade do Isso non ecziste pode ser verificada pelos motores de busca. Pelo Google, no início de 2011, "isso non ecziste" retornava 18.200 resultados

Referências

2.    chat uol

3.    istoegente

4.    OEPNet

5.    Lawrence Manoel (2008-07-19). citação sobre CNBB; Parana-Online. parana-online.com.br. Página visitada em 2011-05-08.

6.    Consultórios espirituais prometem curar doenças, notícia no site www.diarioweb.com.br, da rádio 89,9

Bibliografia:

Wikipedia

 
 
 
 
 
 
 
 
 

 


 

 

 

   

Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal