Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal

108.2.6.7 -MOVIMENTOS CRISTÃS

108.2.6.7.1 - UNIVERSAL DO REINO DE DEUS (Evangélicos)

A Igreja Universal do Reino de Deus (IURD) é uma igreja cristã evangélica neopentecostal, com sede no Rio de Janeiro - no Templo da Glória do Novo Israel, localizada no bairro carioca de Del Castilho.

 

Fundada no dia 9 de julho de 1977, por Edir Macedo, a Igreja Universal do Reino de Deus se tornou o terceiro maior grupo pentecostal do Brasil[4] e está presente em quase 200 países, segundo a instituição,[2] sendo mais disseminada nos países de língua portuguesa.

Em poucos anos, a Igreja Universal cresceu e, após oito anos de fundação, dispunha de 195 templos em 14 estados brasileiros e no Distrito Federal. Em 2009 (mais de trinta anos após sua fundação), a IURD possuía no Brasil mais de cinco mil templos e treze milhões de fiéis e quase 15 mil pastores.[1][5]

 

História

Tudo começou em 9 de julho de 1977, quando se abriram oficialmente as primeiras portas da futura Igreja Universal,que sem condições de alugar um imóvel próprio, o então pastor Edir Macedo iniciou as suas primeiras reuniões num coreto do Jardim do Méier, zona norte do Rio de Janeiro e que aquela época as divulgações da igreja era feita por dez obreiros, que colavam folhetos nos postes e convidavam as pessoas para participar as reuniões. Depois de algum tempo, Macedo alugou um galpão que era uma antiga fábrica de móveis no número 7.702 da Avenida Suburbana, que atualmente é um templo que comporta mais de 2 mil pessoas sentadas.[6]

 

Depois quando Edir Macedo, com o apoio de Romildo Ribeiro Soares, decidiu criar sua própria igreja. Após a criação da igreja, Soares desligou-se da IURD e fundou a Igreja Internacional da Graça de Deus. Ambos eram membros da Igreja Pentecostal de Nova Vida antes de fundarem a IURD. As sucessivas separações teria ocorrido pela diferença do foco entre McAlister (fundador da Nova Vida) e os pastores R. R. Soares e Edir Macedo e depois entre estes, como afirma o livro O Bispo - A História Revelada de Edir Macedo.[7]

 

A expansão ocorreu pelo país em poucos anos. Depois de estabelecer os templos da IURD nos principais cidades do Brasil como Rio de Janeiro, e depois para São Paulo e Minas Gerais, chegando à Bahia e ao estado do Paraná, logo em 1980.[8] No mesmo ano foi aberto o primeiro templo nos EUA em Mount Vermont, no estado de Nova Iorque com o nome de "Universal Church" e se expandindo para outros bairros como Manhattan e Brooklin.[9] E em 1993 a igreja foi para Toronto no Canadá e que iniciou o seu trabalho em língua portuguesa.[10]

 

Na Europa a IURD começou em Portugal em 1989 e que no seguindo semestre de 2010 foi iaugurado o primeiro templo construído inteiramente pela igreja no país e que em meados de 2010 o país já contava com mais de 100 templos espalhados pelo país.[11][12]

O Japão foi o primeiro país a ser escolhido pela IURD para iniciar suas atividades na Ásia em 1996 na província de Shizuoka, cidade de Hamamatsu e que hoje é a matriz do país, e que possui uma das maiores concentrações de brasileiros residentes no Japão e que em 2010 já contava com 17 templos em todo o país.[13]

 

Atualmente, a sede da IURD é a Catedral Mundial da Fé, localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro, também conhecida como Templo da Glória do Novo Israel. Outra sede da igreja é o Templo Maior de São Paulo, localizado no bairro paulistano de Santo Amaro. Entre 1990 a 1995, a Igreja Universal passou de 900 mil para 3,5 milhões de fiéis, possuía mais de dois mil templos no Brasil (e sete mil pastores) e estava presente em 34 países, com 225 templos nos cinco continentes.[14]

Em 2010, a igreja irá construir o Templo de Salomão que será a maior catedral da IURD do mundo e sucessor do Templo da Glória do Novo Israel localizado no Rio de Janeiro. O templo que será construído no bairro do Brás, São Paulo, Brasil tem a construção e estilo de uma réplica do Templo de Salomão que a bíblia cita, localizado em Jerusalém, Israel. Sua capacidade será de aproximadamente 13 mil pessoas sentadas, altura equivalente ao prédio de 18 andares e dois subsolos.[15]

 

Doutrina

As doutrinas da Igreja Universal do Reino de Deus são a priori semelhantes às de outras confissões cristãs evangélicas, em particular as de linha pentecostal. Entretanto, existem outras diferenças fundamentais, como o caráter sobrenatural dado pela IURD às celebrações do batismo por imersão e da Ceia do Senhor. O código de conduta da IURD é a Bíblia Sagrada. Suas doutrinas estão resumidas no livro "Doutrinas da Igreja Universal do Reino de Deus", de Edir Macedo.

 

Quanto à organização eclesiástica, a IURD segue um modelo episcopal, que pode ser rudimentarmente comparado ao modelo empregado pela Igreja Católica. Cada congregação local da IURD conta com vários obreiros, que são subordinados aos pastores e encarregados de trabalhos menores, como o convite de pessoas à participação nos cultos, recepção das pessoas que chegam aos templos, visitas aos lares de enfermos e a hospitais, e auxílio aos pastores, durante os cultos ou não. Aos pastores cabe o serviço religioso do culto, a orientação dos obreiros e a administração da igreja local. Acima dos pastores estão os bispos, que regulam as linhas doutrinárias e supervisionam o trabalho dos pastores.

 

A IURD tem seus símbolos nas fachadas e nos interiores dos templos. Anteriormente usava a imagem de duas mãos juntas em oração, atualmente usa alternativamente algumas outras imagens, como um coração vermelho com uma pomba branca no interior, ou um candelabro judaico (menorá), ou ainda uma cruz. Faz uso de dois slogans: Jesus Cristo é o Senhor e Pare de Sofrer.

 

A IURD no Mundo

A Igreja Universal do Reino de Deus expandiu-se e atualmente está presente em mais de 180 países do mundo, entre os quais: Portugal, Estados Unidos, Rússia, China (Hong Kong), Japão, França, Índia, Israel, África do Sul, Honduras, Guatemala, Nicarágua, Panamá, Equador, Letônia, Romênia, Botsuana, Namíbia, Moçambique, Angola, Tanzânia, Nova Zelândia, Filipinas, México, Inglaterra, Argentina, Colombia, Venezuela, Chile, Jamaica, Grécia, Alemanha, Espanha, Itália, Suiça, Peru, Guatemala, entre outros.[3]

 

Moçambique: A Igreja Universal do Reino de Deus em Moçambique foi fundada no dia 27 de novembro de 1992, no Cine África e hoje tem sua sede no bairro do Alto-Maé, na capital Maputo. A IURD neste país conta com programas diários de rádio e televisão, na Record Moçambique, com cobertura de emissão em todas as capitais provinciais, assim como também nas televisões STV e TIM e Rádio Record Moçambique, com programas locais em Maputo e Beira, Rádio 99FM, Rádio SuperFM, Rádio Terra Verde e Rádio TOP FM, um portal de internet, o IURD Moçambique (http://www.iurdmocambique.com/) e o jornal impresso semanário Folha Universal Moçambique, com tiragem facial de 18.000 exemplares, é distribuído para todo o país. Os veículos de comunicação ajudam no trabalho intenso de evangelização por todo o país.

 

Trabalho social

Além do trabalho religioso, a IURD realiza trabalhos de cunho social e assistencial nos países onde atua, principalmente no Brasil. Alguns dos trabalhos são enumerados abaixo.[2]

·         Associação Beneficente Cristã (ABC), fundada em 1994, é uma instituição filantrópica sem fins lucrativos que realiza sob o lema "Caridade não tem Religião", distribuição de alimentos e atividades de serviço social, saúde e cidadania, e é sustentada sobretudo pela contribuição de membros da IURD.[2]

·         Projeto Nordeste, financiado pela IURD, em parceria com empresas privadas, que mantém a Fazenda Nova Canaã, localizada no município de Irecê, estado da Bahia, Brasil.[2]

·         "Projeto Dose Mais Forte", é feito um trabalho contra as drogas, com acompanhamento e recuperação de viciados, principalmente na cidade de São Paulo.[2]

·         Também é feito um trabalho de capelania nos presídios e hospitais.[2]

·         O "Sule": Supletivo Universal Ler e Escrever, criado em 1998, é um projeto de alfabetização de menores carentes a partir de 14 anos, jovens, adultos e idosos.[2]

·         *"Força Jovem Brasil", projeto voltado ao público jovem, com cursos, cultura e esportes.[2]

 

Publicações e veículos

Na Internet a instituição possui o Portal Arca Universal e, na mídia escrita, o jornal Folha Universal que, segundo o próprio periódico, tem tiragem de 2.300.000 exemplares por semana, e a revista Plenitude, de tiragem mensal. Há também os jornais Correio do Povo de Porto Alegre e o Hoje em Dia, de Minas Gerais, emissoras de rádio e TV (Record) que não têm cunho religioso. A Editora Gráfica Universal é responsável pela publicação de livros escritos ligados à IURD.[2]

No Brasil, a IURD possui uma rede nacional de rádios em FM, a Rede Aleluia, com programação musical gospel e várias emissoras locais, em AM e FM, com programação apenas evangélica. Possui ainda o controle da segunda maior associação brasileira de emissoras de rádios e TVs (ABRATEL). Também possui redes de radio e TV pelo mundo. A empresa que engloba todos os meios de comunicação é a Universal Produções. A IURD também é dona da gravadora "Line Records". Uma boa parte dos músicos e cantores desta gravadora são bispos ou pastores da IURD.[2]

A Igreja fundou até mesmo, em 2005, seu próprio partido político, o Partido Municipalista Renovador,[16] mais tarde, Partido Republicano Brasileiro - do qual é filiado o vice-presidente da República do Brasil José Alencar.[17][18]

 

Arca Universal

Um portal de conteúdos da IURD, como por exemplo torpedos de conteúdos sendo feito pela empresa Hanzo. O portal também já recebeu um prêmio Ibest na categoria de:"Religião e Esoterismo".[19]

 

Prisões, denúncias e fatos polêmicos

Em 1992, Edir Macedo foi preso após o Ministério Público denunciar o líder da Universal por "delitos de charlatanismo, estelionato e lesão à crendice popular". Após ficar onze dias detido,[20][21] Macedo foi solto e livrou-se das acusações.[22] A foto de Macedo na prisão virou capa de sua biografia autorizada "O Bispo: A História Revelada de Edir Macedo", editada em 2007.[2]

 

Houve também o envolvimento de parlamentares em escândalos políticos como o Escândalo do mensalão e Escândalo dos Sanguessugas.[23] Nesse último, ocorrido em 2006, de um total inicial de noventa parlamentares investigados devido a denúncia do empresário Luiz Antônio Trevisan Vedoin, e de um total de setenta e dois indiciados e denunciados,[24] dos vinte e oito evangélicos envolvidos,[25] foi a igreja evangélica com maior participação, com 17 de seus 18 deputados.[26] O sociólogo Ricardo Mariano, estudioso do tema, afirmou que: "Mais de 40% dos membros da bancada evangélica estavam envolvidos no escândalo dos sanguessugas e isso repercutiu negativamente e prejudicou o grupo como um todo" e "desde os anões do orçamento já havia um histórico de participação de evangélicos em esquemas de corrupção, mas esse foi com certeza o maior e o estrago foi considerável"[27]. O deputado evangélico Takayama (PMDB-Paraná) chegou a declarar que “Houve um ataque da mídia tentando vincular a questão dos sanguessugas com a bancada evangélica”.[28]

 

Deve ser destacado também que a Igreja Universal teve uma reação diferente às acusações contra seus representantes no Congresso no caso dos sanguessugas, ao contrário de outras denominações religiosas, tanto as mencionadas quanto as não mencionadas. A IURD proibiu a candidatura à reeleição de parlamentares sob suspeita (uma proibição no sentido de que o candidato não contaria com o apoio da IURD) e, com isso, perdeu 14 postulantes. Em 2006, apenas dois membros da igreja tentaram a reeleição, mas não conseguiram assegurar o mandato.[29]

Com base em uma denúncia do então deputado estadual de São Paulo Afanasio Jazadji, a Polícia Federal abriu em 2007 investigação contra Macedo pela suposta prática de crimes de falsidade ideológica, contra a fé pública, sonegação fiscal e lavagem de dinheiro.[22] Ainda naquele ano, uma reportagem publicada pelo jornal Folha de S. Paulo em 2007 apontava que Macedo era o maior detentor de concessões na mídia eletrônica brasileira, com 23 emissoras de TV, entre elas a geradora da Rede Record, e 40 de rádio, e que a extensão financeira do conglomerado, registrada no então paraíso fiscal da Ilha de Jersey serviria para esquentar os dízimos recebidos pela Universal.[30][31]

 

Em 2009, a Justiça brasileira aceitou denúncia do Ministério Público Federal paulista contra o fundador e líder da Igreja Universal do Reino de Deus, Edir Macedo, e mais nove integrantes dessa entidade religiosa, pelas acusações de formação de quadrilha e de lavagem de dinheiro.[5] A denúncia baseou-se em uma apuração da movimentação financeira da IURD ao longo de seus mais de 30 anos de existência. A investigação iniciada em 2007 levou à quebra judicial dos sigilos bancário e fiscal da igreja Universal e levantou o patrimônio acumulado por seus dirigentes entre 1999 e 2009 - já que, mesmo isentas de pagar impostos, as organizações religiosas são obrigadas a declarar o volume de recursos e bens doados que receberam de seus fiéis.[5] Segundo a investigação, ao menos 50 empresas como emissoras de rádio e TV (em especial, a Rede Record[32]), gráficas e agências de turismo controladas direta ou indiretamente por integrantes da Igreja Universal do Reino de Deus são beneficiadas por doações feitas por fiéis em todo o país.[33] Porém mesmo com várias acusações, nada foi provado ou condenado.

 

Segundo a Receita Federal, a IURD arrecada aproximadamente R$ 1,4 bilhão por ano. Por ser oficialmente uma instituição sem fins lucrativos, a Igreja Universal tem imunidade fiscal ao recolhimento do Imposto de Renda - em tese, os recursos arrecadados pela igreja, o dízimo dos seus fiéis (e portanto não tributado), deveriam ser usados exclusivamente em obras assistenciais. Por isso, a instituição tem sido alvo de investigação pelo Ministério Público Federal por suposto desvio do dízimo dos fiéis para empresas do líder da Igreja Universal e pastores ligados à instituição religiosa.[33] Em agosto de 2009, a Justiça brasileira abriu ação criminal contra o fundador Edir Macedo e mais nove pessoas ligadas a ele, por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, acusados de se apropriar ilegalmente de dízimos e de ofertas de fiéis e de usar o dinheiro das doações para construir um patrimônio pessoal e comprar emissoras de televisão e rádio.[5] Mas em 20 de outubro de 2010 o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), anulou todas as acusações feita pelo Ministério Público contra a IURD e seus representantes por ser ilegal a investigação conduzida pelos promotores do Grupo de Atuação Especial e Repressão ao Crime Organizado.[34]

 

Polêmicas com outros grupos religiosos

A IURD tem também sido protagonista de diversas polêmicas e atritos com outros grupos religiosos, em especial as religiões da cultura afro-brasileiras como o candomblé e a umbanda. Edir Macedo e outros pastores da IURD já foram acusados de intolerância contra essas crenças.[35] Em 2005, a Justiça brasileira determinou a retirada de circulação de todos os exemplares do livro "Orixás, Caboclos e Guias: Deuses ou Demônios?", de autoria de Macedo, por conta de seu teor preconceituoso.[36][37]

 

Após realizarem críticas ao candomblé no programa "Ponto de Luz", exibido pela TV Record de Salvador, o bispo Sérgio Santos Correa e os pastores Gilberto Muniz Pereira e Marco Aurélio Trindade foram denunciados por discriminação religiosa pelo Ministério Público da Bahia em abril de 2003. No programa, uma suposta ex-mãe-de-santo afirmou ter feito um "trabalho" de macumba para matar um desafeto e este, conforme a mulher, teria morrido. Vários praticantes do Candomblé declararam que tiveram terreiros atacados por evangélicos e acusaram a campanha da Igreja Universal de incitar esses atos.[22]

 

Disputa com a Igreja Católica

A IURD apresenta um grande contraste com a Igreja Católica,[38] tendo discordâncias não só doutrinarias[39] como também políticas, tendo Edir Macedo já declarado que "a Igreja Católica é uma desgraça para o Terceiro Mundo" e que o Papa é "exclusivamente um político".[39]

Esse enfrentamento foi feito de diversas formas e até mesmo em disputas eleitorais[40]. Isso gerou uma reação católica que publicamente abriu uma guerra contra a IURD, algo que contraria seu comportamento nos últimos anos no Brasil.[41]

 

Chute na Santa

Em 12 de outubro de 1995, data em que os católicos celebram Nossa Senhora Aparecida, o então bispo da Igreja Universal Sérgio Von Helde chutou e deu socos em uma imagem da santa, durante os programas "Despertar da Fé" e "Palavra da Vida", da Rede Record.[22][42] Von Helde foi indiciado na Justiça por ofensa à fé alheia.[22]

 

 

Alegação de perseguição

Alvo de críticas, a Igreja Universal afirma que é alvo de perseguições na grande imprensa brasileira, em especial da Rede Globo.

 

Ainda em 1995, a Rede Globo apresentou uma reportagem na qual Edir Macedo ensinava pastores a convencer fiéis a doar dinheiro para a Igreja Universal. Edir Macedo apresentou pedido para que fosse retirado o vídeo do site YouTube onde o bispo ensina pastores a pedir doações, no vídeo Edir afirma que os pastores têm de ser firmes ao pedir doações:“Tem de ser assim: Você vai ajudar na obra de Deus. Se não quiser ajudar, Deus arrumará outra pessoa para ajudar. Ou dá ou desce”. O pedido de liminar para a retirada do vídeo foi negado.[43]

 

Foi dito na imprensa que o episódio do "chute na santa" foi também o estopim que a Globo esperava para desfechar uma grande campanha contra a Igreja Universal, mas, os resultados foram menos devastadores do que a Globo esperava.[44]

 

Recentemente, tais acusações voltaram a ser repetidas.[45] A Igreja Universal montou uma equipe que orienta seus fiéis a mover ações judiciais contra jornais que publiquem reportagens negativas à entidade religiosa, isso aconteceu após a Folha publicar a notícia que uma das empresas, a Unimetro está ligada com a empresa Cableinvest , registrada no paraíso fiscal da ilha de Jersey, havendo a hipótese que dízimo estava sendo nesse paraíso fiscal.[46] Os jornais Extra (do Rio de Janeiro), A Tarde (da Bahia) e dois profissionais desses veículos foram alvos de indenizações por parte de pastores da IURD, por terem noticiado o ato de vandalismo em uma igueja católica por um membro da IURD.[46][47][48]

 

Atividades paralelas de seus integrantes

Diversos de seus membros, na maioria bispos (incluindo o próprio Edir Macedo, que em 1989 comprou a Rede Record por 45 milhões de dólares e quitou outros 300 milhões de dólares de dívidas que a emissora tinha, com a emissora paulista passando a transmitir programas religiosos em boa parte de sua programação[14]), possuem emissoras de TV e rádio, jornais (como os diários "Hoje em Dia", de Belo Horizonte, e "Correio do Povo", de Porto Alegre), gráficas (Ediminas e Universal), além de quatro empresas de participações (que são acionistas de outras empresas), uma agência de turismo, uma imobiliária, uma empresa de seguro saúde.[30] A Iurd ainda possui uma empresa de táxi aéreo, a Alliance Jet.[30] Entre as empresas de comunicação, são 23 emissoras de TV (integrantes das redes Record, Record News e Rede Família), além de 40 emissoras de rádio registradas em nome de um grupo de pastores, além de arrendar outras 36 emissoras de rádios que integram a Rede Aleluia.[31]

Notas e referências

1.      a b "Grupo Folha repete ataque a evangélicos" (html). R7. Rede Record. 20 de junho de 2010. (página da notícia visitada em 20/06/2010)

2.      a b c d e f g h i j k l "Igreja Universal completa 32 anos atuando em quase 200 países". padom. . (página da notícia visitada em 05/06/2010)

3.      a b "O valor das ofertas". folha.arcauniversal. . (página da notícia visitada em 25/08/2010)

4.      Uma perícia técnica revela que Edir Macedo pode ter fraudado documentos na venda de TVs - Revista Época, 20 de fevereiro de 2009

5.      a b c d Denúncia de promotores aponta 'prática de fraudes' contra a Universal e fiéis - G1, 11 de agosto de 2009

6.      "História". arcauniversal. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

7.      Tavolaro, D, C. Lemos, Larousse, O Bispo - A História Revelada de Edir Macedo, 250, Outubro de 2007

8.      "IURD no Brasil". arcauniversal. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

9.      "Pelos quatro cantos da Terra IURD está presente em mais de 180 países". arcauniversal. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

10.  "IURD no mundo: Canadá". arcauniversal. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

11.  "Primeira Catedral da IURD construída na Europa". bispomacedo. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

12.  "IURD no mundo: Portugal". arcauniversal. . (página da notícia visitada em 18/10/2010)

13.  "Igreja Universal é a que mais cresce no Japão". gospelprime. 28 / janeiro / 2010. (página da notícia visitada em 18/10/2010)

14.  a b Igreja Universal - Veja, 25 de outubro de 1995

15.  "São Paulo terá três novos megatemplos religiosos" (html). noticias.gospelmais. 12 novembro 2008. (página da notícia visitada em 02/07/2010)

16.  {http://www.correiodobrasil.com.br/noticia.asp?c=78473 Crivella deve ser presidente de partido da Igreja Universal} - Correio do Brasil, 13 de janeiro de 2005

17.  Em um mês, PRB ganha mais de 100 mil filiados, segundo TSE - OESP, 28 de novembro de 2007

18.  JOSÉ ALENCAR SERÁ VICE POR MAIS QUATRO ANOS - G1, 29 de outubro de 2006

19.  http://www.overbo.com.br/portal/2008/05/23/7014/

20.  Em entrevista com Edir Macedo, Record volta a criticar Globo - Esta fonte diz que ficou onze dias.

21.  Edir Macedo planeja templo maior que Cristo Redentor - Esta fonte diz que ficou onze dias.

22.  a b c d e Relembre as denúncias e investigações sobre a Igreja Universal - OESP, 11 de agosto de 2009

23.  Brasil - NOTÍCIAS - O partido de Edir Macedo busca a salvação (html) (em português). Revistaepoca.com. Página visitada em 21 de fevereiro de 2010.

24.  O Dia (19 de fevereiro de 2009). Polícia Federal investiga envolvidos na Máfia das Ambulâncias (em português). Página visitada em 1 de março de 2009.

25.  Correio Braziliense (4 de junho de 2006). Evangélicos são mais atuantes (em português). Página visitada em 1 de março de 2009.

26.  Igrejas envolvidas no escândalo dos sanguessugas (html) (em português). Gospelmais.com. Página visitada em 21 de fevereiro de 2010.

27.  Frente religiosa poderá incluir católicos (em português) (10 de fevereiro de 2006). Página visitada em 25 de julho de 2010.

28.  Congresso em Foco (10 de outubro de 2006). A nova missão da bancada (em português). Página visitada em 1 de março de 2009.

29.  Marcelo Villas-Bôas, com Sabrina Craide (Portal Brasil) (16 de dezembro de 2006). Porque a fé perde votos e cadeiras no congresso (em português). Página visitada em 1 de março de 2009.

30.  a b c Universal chega aos 30 anos com império empresarial - Folha de S.Paulo, 15 de dezembro de 2007

31.  a b Igreja controla maior parte de TVs do país - Folha de S.Paulo, 15 de dezembro de 2007

32.  Universal repassou em 3 anos quase R$ 1 bilhão para emissora de TV, diz revista - G1, 12 de agosto de 2009

33.  a b Dízimo era usado em imóveis, diz Coaf - OESP, 13 de agosto de 2009

34.  "Tribunal anula toda a acusação do Ministério Público Estadual contra a Universal". R7. Rede Record. . (página da notícia visitada em 20/10/2010)

35.  Aos cem anos, umbanda ainda sofre preconceito - OESP, 16 de novembro de 2008

36.  Teor preconceituoso faz Justiça proibir livro de Edir Macedo - OESP, 10 de novembro de 2005

37.  Dono e diretores da Record são processados por descaminho Conjur, 2006

38.  GOMES, Edlaine de Campos. A Religião em Discurso: a retórica parlamentar sobre o aborto. In: DUARTE, Luiz Fernando Dias; GOMES, Edlaine de Campos; MENEZES, Rachel Aisengart; NATIVIDADE, Marcelo (orgs.). Valores Religiosos e Legislação no Brasil: a tramitação de projetos de lei sobre temas morais controversos. Rio de Janeiro: Garamond, 2009, p. 55.

39.  a b Marcelo Marthe (Veja) (10 de Outubro de 2007). No ar, mais um vice-campeão de audiência (em português). Página visitada em 05 de Novembro de 2009.

40.  Diário da Manhã (25 de setembro de 2008). Batalha no Rio: Vaticano X Igreja Universal (em português). Página visitada em 20 de dezembro de 2009.

41.  Observatório da Imprensa (7 de fevereiro de 2007). Igreja x Igreja (em português). Página visitada em 20 de dezembro de 2009.

42.  O conto da santa - IstoÉ, 21 de abril de 2004

43.  Edir Macedo e Universal não conseguem tirar vídeo do YouTube - Consultor Jurídico, 24 de junho de 2007

44.  Nelson Hoineff (Observatório da Imprensa) (26 de Fevereiro de 2008). O segundo chute na santa (em português). Página visitada em 05 de Novembro de 2009.

45.  Record defende cobrança do dízimo e ataca Globo de novo - Abril, 13 de agosto de 2009

46.  a b Universal monta equipe para orientar fiéis a processar imprensa - Consultor Jurídico, 19 de fevereiro de 2008

47.  Fiéis da Universal processam "Extra" e "A Tarde" - Folha de S.Paulo, 15 de fevereiro de 2008

48.  Juízes dão mais duas decisões a favor da Folha - Folha de S.Paulo, 16 de fevereiro de 2008

Ver também

·         Doutrinas da Igreja Universal do Reino de Deus

·         Igreja Internacional da Graça de Deus, igreja dissidente fundada pelo Missionário R. R. Soares, cunhado de Edir Macedo e co-fundador da IURD.

·         Igreja Mundial do Poder de Deus, igreja dissidente fundada pelo apóstolo Valdemiro Santiago, ex-bispo da IURD.

·        Universal, Uma Ameaça ao País dos Crentes, documentário de 2002 sobre a denominação.

Fonte: Wikipedia

 

<voltar ao Cristianismo>              <Retornar página Principal>

 

108.2.6.7.2 - IGREJA CRISTÃ MARANATA (Evangélicos)

Maranata (do original מרנא תא) é uma expressão aramaica que ocorre uma vez na Bíblia, empregada pelo Apóstolo Paulo na Primeira Epístola aos Coríntios capítulo 16 versículo 22 (Se alguém não ama ao Senhor, seja anátema. Maranata.). O termo é a composição de duas palavras, que transliteradas dão origem à palavra Maranata e que significa "O Senhor vem!" ou ainda "Nosso Senhor vem!". No desfecho do livro do Apocalipse, a mesma expressão é utilizada como uma oração ou pedido, desta feita na língua grega, e traduzida por: “Vem, Senhor”.

Utilização da palavra nos dias atuais

"Maranata" é o nome de uma música por artista cristão Michael Card. É também o nome de uma canção Christian hip hop artista Sho BarakaBand, bem como o título de um álbum de black metal sueco Funeral Mist.

"Maranata" é a palavra de oração recomendada pela Comunidade Mundial de Meditação Cristã, A comunidade de seguidores da doutrina John Maine OSB's ensinamentos sobre a prática de A meditação cristã. A oração é aquela em que se coloca tudo de lado: ao invés de falar com Deus, é apenas um estar com Deus, permitindo a presença de Deus para preencher um coração, transformando assim um ser interior. Atualmente a expressão é também utilizada por cristãos católicos da Renovação Carismática, para referenciar o arrebatamento da igreja.

A Igreja Cristã Maranata é a 11ª maior igreja evangélica e a 6ª maior igreja de orientação pentecostal do Brasil[1], atualmente presente também em diversos países.

Fundação e histórico

A Igreja foi fundada em outubro de 1968 no bairro Divino Espírito Santo no Município de Vila Velha, no Estado do Espírito Santo, fruto do chamado grande avivamento espiritual que ocorreu na década de 60 no Brasil, quando fiéis de diversas instituições religiosas protestantes, chamadas popularmente de tradicionais, começaram a crer na doutrina do Batismo com o Espírito Santo. Alguns fiéis de duas outras cidades tiveram a mesma experiência de avivamento, quase que na mesma ocasião, foram elas Caratinga e Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Atualmente, a Igreja Cristã Maranata congrega mais de seis mil igrejas no Brasil, sendo que todas as igrejas foram fruto da evangelização. A Igreja atua também em vários países da América do Sul, América do Norte, Europa, Ásia e África. Ademais, mantém relações de comunhão e cooperação espiritual com igrejas da Europa Oriental e Ásia Central, além do subcontinente Indiano.

Maranata

A palavra Maranata (do original מרנא תא) é uma expressão aramaica que ocorre uma vez na Bíblia, empregada pelo Apóstolo Paulo na Primeira Epístola aos Coríntios, Capítulo 16, Versículo 22 (Se alguém não ama ao Senhor, seja anátema. Maranata.). O termo é a composição de duas palavras, que transliteradas dão origem à Maranata e que significa O Senhor vem! ou ainda Nosso Senhor vem!, e foi, provavelmente, usada como oração ou saudação entre os cristãos primitivos. No desfecho do livro do Apocalipse, a mesma expressão é utilizada como uma oração ou pedido, desta vez feita na língua grega, e traduzida por: Ora vem, Senhor.

Alguns dos patrimônios da Igreja

·         Templos, trabalhos, contatos no Brasil e no Exterior;

·         Presbitério - Informativo;

·         Presbitério - Edificações;

·         Fundação Manuel dos Passos Barros.

Referências

1.      IBGE, fonte Tabela 2102 - População residente por situação do domicílio, religião e sexo, Censo 2000, IBGE.

Wikipedia

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.3 - IGREJA INTERNACIONAL DA GRAÇA DE DEUS (Evangélicos)

A Igreja Internacional da Graça de Deus é uma Igreja evangélica neopentecostal fundada pelo Missionário Romildo Ribeiro Soares (conhecido como Missionário R.R. Soares) em 1980, na Rua Lauro Neiva, no Município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro. Romildo fundou a sua própria denominação logo após se separar de seu cunhado, o então pastor Edir Macedo (hoje bispo).

 

Atualmente, possui um programa televisivo denominado Show da Fé, que é transmitido em horário nobre na Rede Bandeirantes e nas tardes e madrugadas da RedeTV!.

 

 

Trajetória de R. R. Soares

A Igreja Internacional da Graça de Deus atualmente possui uma rede de emissoras de televisão denominada RIT (Rede Internacional de Televisão) acessível nas principais cidades do Brasil, além de exibir um programa diário em horário nobre na Rede Bandeirantes, e também nas madrugadas da Band, na RedeTV!, intitulado Show da Fé.

O pregador dos programas se chama Romildo Ribeiro Soares, mais conhecido como R.R. Soares. Ele prega a Palavra de Deus (Bíblia) e, segundo os adeptos, através dela muitas vidas são mudadas: curas, libertação de vícios, restauração de famílias.

 

O programa Show da Fé mostra músicas e quadros como: "Novela da Vida Real", "O Missionário Responde", "Abrindo o Coração" e, ao final, é realizada a oração da fé, na qual o missionário, com bases bíblicas, faz oração em nome de Jesus.

Cunhado do conhecido Bispo Edir Macedo da Igreja Universal do Reino de Deus, com quem rompeu relações em 1978 após desentendimentos teológicos. R.R. Soares não concordava com o caminho que Edir Macedo tomava na direção da IURD. Houve então a cisão e, em 1980, fundou a Igreja Internacional da Graça de Deus.

 

Na Rua Lauro Neiva, no Município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, foi inaugurada o primeiro templo da denominação e foi-se espalhando posteriormente para todo o Brasil e para outros países. A Igreja Internacional da Graça de Deus, é aceita e reconhecida como "Igreja Cristã Evangélica Legítima", pelas demais denominações e seus respectivos ministros.

Romildo foi criado na pequena cidade de Muniz Freire, no Espírito Santo. Um dia, ao visitar a cidade vizinha de Cachoeiro do Itapemirim, na praça Jerônimo Monteiro, viu pela primeira vez em sua vida um aparelho de televisão, exposto numa loja.

Segundo o seu relato, ele notou que todos os que estavam ali ficaram fascinados com o que acontecia na tela e, naquele momento, fez um voto ao Senhor: “Não tem ninguém falando do Senhor nesse aparelho. Ah, Senhor, se o Senhor me der condições, um dia eu estarei aí, falando só do Senhor”.

Em abril de 1964, ainda jovem, ele chegou ao Rio de Janeiro e, em 1968, teve início o ministério de R. R. Soares.

Trajetória das Igrejas

Atualmente, a Igreja Internacional da Graça de Deus tem mais de dois mil templos abertos em todo o mundo. Desse número, mais de cem igrejas se encontram no Rio de Janeiro, onde tudo começou. Ela também conta com o Jornal Show da Fé, de tiragem mensal de 1,2 milhões de exemplares e com a Revista Graça Show da Fé, com tiragem mensal de 180 mil exemplares com CD de brinde. Existe também uma revista infantil de histórias em quadrinhos, a Turminha da Graça, de circulação mensal e com CD de brinde. Conta com a gravadora Graça Music, que tem lançado cantores gospel; dentre eles Ana Betriz Brandão, Sandrinha, Jeanne Mascarenhas, Dayane Damasceno e Carlinhos Félix. Por intermédio da Graça Editorial tem publicado inúmeros títulos de livros evangélicos: "Como tomar posse da bênção", "O Nome de Jesus", "Curai os enfermos e expulsai os demônios", "Quando o Pecado Secreto Dele Despedaça o Seu Coração", e o best-seller "Os profetas das Grandes Religiões".

A Graça Editorial também é responsável por várias publicações de mídia evangélica, dentre elas, as revistas Graça Show da Fé e Turminha da Graça e o jornal Show da Fé, cuja tiragem chega a quase 2 milhões de exemplares, os quais circulam por todo o Brasil, sem contar com os publicados em vários países, dentre eles, Estados Unidos e México.

Além da Graça Filmes que tem lançado varios titulos como a Diretoria,uma carta ao Pai,inabalavel e diversos volumes do midinho com historias biblicas voltadas para o publico infantil. A nossa tv brasileira tambem pertencente ao grupo da graça de Deus traz os melhores canais do mundo além de canais exclusivos nossa tv como o iigd e sos espiritual.

 

 

R.R. SOARES

Romildo Ribeiro Soares, conhecido como Missionário R. R. Soares, (Muniz Freire, 6 de dezembro de 1947) é um televangelista brasileiro, fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Biografia

Romildo Ribeiro Soares nasceu em 6 de dezembro de 1947, em Muniz Freire, no estado do Espírito Santo. De família muito pobre, teve de trabalhar desde a infância para ajudar a família. Em abril de 1964, Soares chegou ao Rio de Janeiro com sua família e foram residir na casa de seu tio Aderbal em São Gonçalo.[1]

Após ler o livro de T. L. Osborn, intitulado Curai os enfermos, expulsai os demônios, ele sentiu o impulso para o ministério, e desistiu do que antes fora o seu sonho, que era estudar Medicina, pois lhe tinha sido prometida uma bolsa de estudos no curso de Medicina na Universidade Patrice Lumumba, em Moscou, na Rússia.[2]

 

Ele fundou a Igreja Internacional da Graça de Deus tendo inaugurado a primeira em 1980 na Rua Lauro Neiva, no Município de Duque de Caxias, Rio de Janeiro, da qual é líder até hoje. Casou-se com Maria Madalena, possuindo 5 filhos homens.

 

Apresenta o programa Show da Fé pelas redes Bandeirantes e CNT no período da noite, bem como pela RIT – Rede Internacional de Televisão. Além disso, conta, atualmente, com horários alugados nas madrugadas e fins de tarde da emissora BAND. Apesar da multiplicação do sinal em várias emissoras do Brasil e em alguns outros países, o consenso geral dos executivos destas emissoras é de que a participação de R.R. Soares derruba as audiências seguintes, prevalecendo apenas o lucro pelo que ele investe em cada uma delas [3]

Tornou-se o campeão de aparições na tevê ao ter um total de 100 horas por semana de programação nas emissoras de alcance nacional. Mas perdeu a posição de liderança para o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, o Apóstolo Valdemiro Santiago de Oliveira, religioso com o maior tempo de exposição na TV aberta no Brasil[4]

Atualmente, Soares conta com mais de 2.000 igrejas espalhadas por todo o país. Embora casado há 28 anos com a irmã do atual dono da Rede Record, Magdalena, a relação com Edir Macedo é anterior. Tendo-se conhecido em 1968 na Igreja Nova Vida, os dois fundaram "A Cruzada do Caminho Eterno", sete anos após. Em 1977, criaram a Igreja Universal do Reino de Deus. Em 2002 contratou seu sobrinho, Calebe Soares, para liderar a Nossa Rádio FM no Rio de Janeiro. Em 2003 perdeu a rádio por questões políticas.[3]

Em maio de 2006, lançou uma operadora evangélica de TV paga, que pretende atingir cem mil assinantes.[5]

Empresas

O missionário R.R. Soares é dono da Graça Artes Gráficas e Editora Ltda. (adquirida em 1983), da Graça Music (uma gravadora gospel), da Graça Editorial (uma editora) e da Graça Filmes, lançada em 2010 (distribuidora e em breve produtora de longas). Os outros, tais como, STB (Superior Technologies in Broadcasting),RIT, Nossa Rádio e Nossa TV (TV por assinatura), pertencem à Igreja Internacional da Graça de Deus.

Referências

1.      Graça Music: Biografia

2.      Missionário R.R. Soraes - Myspace

3.      a b Istoé Gente: R.R. Soares

4.      Entrevista R.R. Soares

5.      Nossa TV Brasileira pretende atingir 100 mil assinantes

Wikipédia

[Retornar página Principal] 

 

108.2.6.7.4 - DEUS É AMOR (Evangélicos)

A Igreja Pentecostal Deus é Amor (IPDA), é uma da denominação evangélica brasileira originária da segunda onda do Pentecostalismo. Foi fundada em 1962 pelo missionário David Martins Miranda, com sede na cidade de São Paulo, SP - Brasil. A sua membresia foi estimada em 774.830[1] (conforme Censo 2000 feito pelo IBGE), atualmente conta com mais de 21.000 igrejas espalhadas pelo Brasil e mais 139 países, [2] sendo assim a quinta maior igreja em número de membros do ramo pentecostal no Brasil ficando atrás da Assembleia de Deus, Congregação Cristã no Brasil, Igreja Universal do Reino de Deus e Igreja do Evangelho Quadrangular, ficando em nono lugar entre as igrejas Protestantes Brasileiras.

 Começador

Missionário David Miranda, como é geralmente chamado, também é intitulado como o Apóstolo do século XXI pelos seus seguidores. Nasceu no dia 4 de Julho de 1936 na pequena cidade de Reserva no estado do Paraná. Filho de agricultores católicos, o quarto dentre cinco filhos do casal Roberto e Anália Miranda. Quando David Miranda tinha 13 anos de idade seu pai veio a falecer; esse fato mudou a vida da família Miranda. Quatro anos depois eles mudam-se para o município de Tibagi, PR, mais propriamente dito para a vila chamada de Cidade Nova (que tempos depois viria a se chamar Telêmaco Borba, PR) às margens do rio Tibagi, perto da fazenda Monte Alegre de propriedade da Indústria Klabin do Paraná Papel e Celulose S/A onde David veio a trabalhar.

Em abril de 1957 a Sra. Anália vende a sua casa na Cidade Nova (Telêmaco Borba, PR), e migra com a família para a cidade de São Paulo onde já morava a irmã mais velha de David Miranda, a Araci, que já era conversa ao protestantismo. Foi através de Araci que a mãe e depois os demais irmãos se converteram ao Protestantismo, ficando somente David como a última resistência do Catolicismo dentro da família Miranda.[3]

Conversão

David Miranda, conforme relatado em sua autobiografia, já não agüentava mais a convivência com a sua família devido à discordância religiosa, pois não suportava os crentes em sua casa, porque após a conversão de sua família a sua casa virou local para culto domiciliar. A conversão de David Miranda ocorreu em 6 de julho de 1958. Naquele dia, ele planejava deixar sua casa em secreto e ir morar sozinho, pois já estava para completar 22 anos. Mas tudo mudou quando vinha de uma matinê dançante, por volta das 19 horas pela Estrada da Conceição, em Vila Munhoz, São Paulo.

Como sempre, procurava uma festa, quando foi surpreendido por um cântico. Pensando tratar-se de um baile ou coisa parecida, parou para ouvir o que era aquilo. Muitas vozes cantavam ao mesmo tempo. Quando percebeu, estava em frente à Igreja Maravilhas de Jesus (presidida pelo pastor Leonel da Silva). Embora não gostasse dos crentes, David resolveu entrar e sentar-se em um dos bancos daquele salão.

David estava em conflito consigo, pois queria sair dali correndo, mas não conseguia; algo o segurava naquele lugar. Permaneceu ali até o final do culto onde foi lida a passagem bíblica de Gênesis capítulo vinte e dois, que fala sobre o sacrifício de Abraão, passagem essa pregada pelo pastor Jonas da Cruz, nordestino com forte sotaque baiano.

O local era frequentado por pessoas humildes e de classe social bem abaixo da que David tinha por costume conviver, sendo o pastor mais humilde ainda e de um português muito ruim. Apesar disso tudo a mensagem daquela noite falou profundamente ao coração do futuro missionário e fundador de uma das maiores igrejas do Brasil, a ponto de David Miranda pensar que tudo o que aquele pastor falava era direcionado exclusivamente para ele. Esse foi o cenário da conversão de David Martins Miranda. Naquela noite mesmo ele aceita a Jesus e se torna também um crente. </ref> [4]

História

Oficialmente a Igreja Pentecostal Deus é Amor foi fundada em 3 de junho de 1962, sendo esta data a de registro como pessoa jurídica em cartório passando a existir oficialmente perante a lei. Mas de fato ela teve início no mês de março de 1962, mês este no qual David Miranda foi despedido da firma onde trabalhava havia quatro anos, recebendo uma indenização com a qual alugou um amplo salão na antiga Rua Setenta, hoje Avenida Afonso Pena, na região de Vila Maria na cidade de São Paulo. No dia da inauguração, havia no local cerca de 50 pessoas, sendo que membros da igreja eram apenas três pessoas: o próprio David Miranda, sua mãe Anália e sua irmã Araci.

Nos dias que se seguiram após a inauguração, foram se unindo à igreja pessoas que já conheciam David Miranda de outras denominações por onde ele passara e, menos de um mês da inauguração a IPDA já contava com cerca de 70 membros.

No dia 15 de abril, David Miranda foi oficialmente ungido como pastor, pelo pastor e amigo Roberto Anézio da Igreja Pentecostal do Brasil (igreja essa à qual David Miranda pertencia antes de fundar a Deus é Amor), nesse dia a Deus é Amor passou a ter o seu primeiro pastor.

Doutrina

Regulamento Interno - RI

O RI ou Regulamento Interno da IPDA é o manual de conduta para os membros batizados, nele está registrado tudo o que o membro não pode fazer ou usar; esse manual vem junto com a carteirinha de membro. Cada regra é amparada por um versículo bíblico (na maioria das vezes versículos isolados e fora de contexto). Em muitas das congregações e em especial nas sedes há um culto na semana denominado culto do RI ou culto de doutrina, onde são abordados os temas contidos no RI.

Uso e Costumes

"Usos e costumes" é uma expressão utilizado nos meios pentecostais para se referir a uma série de proibições e determinações feitas pelas igrejas aos seus membros quanto à vestimenta, comportamento e postura social. Na IPDA as normas de "usos e costumes" são variadas sendo constantemente fiscalizadas pelos pastores estando impressas no Regulamento Interno da denominação, entre as principais proibições direcionadas a todos os membros estão:

·         ter e ver TV, não é permitido assistir a nenhum tipo de programação (pois a TV é considerada a imagem da Besta);

·         escutar programas não evangélicos no rádio; (são orientados e estimulados a ouvir somente a programação da igreja "A Voz da Libertação", rádios de conteudo musical evangelico e de noticias também são permitidos).

·         praticar qualquer tipo de esportes (os adolescentes são estimulados a não participarem da aula de Educação Física nas escolas, sendo sugeridos trabalhos alternativos para obtenção de nota na matéria);

·         exercer qualquer profissão que exija o uso de armas de fogo (segurança, polícia militar, forças armadas).

·         As mulheres são as mais cobradas na Deus é Amor as mulheres são terminantemente proibidas de:

·         usarem calças compridas, alegam ser roupa de homem (podendo usar somente saias ou vestidos, abaixo dos joelhos e sem aberturas);

·         usarem qualquer tipo de maquiagem e usar qualquer adorno (com exceção da aliança de casamento ou noivado e relógio);

·         cortar os seus cabelos (sendo proibido aparar até mesmo as pontas);

·         tomar qualquer medicamento anticonceptivo (pílula ou injeção) ou praticar qualquer ato que vise evitar filhos (cirurgia).

·         Já os homens não podem:

·         usar bermudas ou shorts (mesmo dentro de casa ou para dormir, devem sempre usar calças compridas, não sendo permitida nem a capri);

·         andar sem camisas ou com as mesmas abertas (não sendo permito regatas ou camisetas sem manga);

·         ter bigodes, costeletas ou cabelos crescidos (sendo considerados vaidade);

Meios de Comunicação

Rádios

O principal meio de comunicação da IPDA é o rádio pelo qual transmite o programa "A Voz da Libertação" a mais de 45 anos. A Voz da Libertação é transmitida em centenas de emissoras de rádios pelo Brasil e pelo Mundo, sendo em muitas delas 24 horas de programação por dia[5] A cadeia de emissoras que transmite o programa A Voz da Libertação é uma das maiores do mundo no segmento evangélico, cobrido todo o Brasil e América Latina e partes da Europa, Estados Unidos, África e Ásia.

Internet

A Deus é Amor também utiliza como meio de divulgação a internet, através do seu site www.ipda.com.br o qual tem links para transmissão do programa "A Voz da Libertação" via web ao vivo para todo o Mundo.

Outros

Outros meios de comunicação e divulgação da Deus é Amor são:

·         jornal "O Testemunho";

·         revista "Ide";

·         revista "Expressão Jovem".

Referências

1.      Censo 2000 - Segundo a Religião".

2.      Retrospectiva 48 anos IPDA". Página visitada em 31/05/2010.

3.      Autobiografia do Missionário David Miranda".

4.      Cronologia da IPDA". Página visitada em 31/05/2010.

5.      Lista de Emissoras de Rádio".

Wikipedia

 [Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.5 - IGREJA LUTERANA (Evangélicos)

A História da Igreja Luterana

A 10 de novembro de 1483, na cidade de Eisleben, na Alemanha, nasceu Martinho Lutero, um jovem que, contrariando a vontade dos pais, decidiu tornar-se monge. No mosteiro, Lutero vivia em angústias e desespero por dúvidas que tinha sobre seus méritos espirituais. Quanto mais se penitenciava, tanto mais cresciam suas dúvidas e incertezas. Não possuía, por isso, paz de alma e via Deus como um severo juiz pronto a castigar os pecadores.

Lutero tornou-se Doutor em Teologia e passou a lecionar na Universidade de Wittenberg. Sendo um dos privilegiados a ter acesso a uma Bíblia, Lutero desenvolveu nova visão teológica lendo as palavras de Romanos 1.17: "O justo viverá por fé". Segundo sua interpretação, dizia que o perdão e a vida eterna não são conquistados por nós mediante boas obras, mas nos são dados gratuitamente por meio da fé em Jesus Cristo.

Em 1517, na Alemanha, o professor e monge Martinho Lutero fixou à porta da Catedral de Wittenberg 95 teses criticando a atuação do Papa e do alto clero. Elas se propagaram rapidamente, mesmo com a intervenção da Igreja. Lutero foi apoiado por parte da população e pela nobreza que, desejosa de conquistar novas terras sob domínio de Roma (na região da atual Alemanha), o protegeram da perseguição do papa, poupando-o da fogueira, mas não da excomunhão.

Alguns exemplos dessas teses:

Tese 27: Pregam a doutrina humana os que dizem que, tão logo seja ouvido o tilintar da moeda lançada na caixa, a alma sairá voando.

Tese 32: Serão condenados em eternidade, juntamente com seus mestres, aqueles que se julgam seguros de sua salvação através de cartas de indulgência.

Tese 86: Por que o papa, cuja fortuna é hoje maior que a dos mais ricos crassos, não constrói com seu próprio dinheiro ao menos a Basílica de São Pedro, em vez de fazê-lo com o dinheiro dos pobres fiéis?

Lutero, então, passou a participar de vários debates teológicos com autoridades civis e eclesiásticas que tentavam fazê-lo abrir mão de suas idéias e retratar-se de críticas à Igreja e ao Papa. Em 1520, Lutero foi excomungado pelo Papa e, no mesmo ano, queimou a Bula de Excomunhão em praça pública, rompendo assim com a Igreja Católica da época. Em 1530, surgiu a Confissão de Augsburgo que foi escrita por Lutero e Melanchthon, um fiel companheiro seu. Este documento trazia um resumo dos ensinos luteranos.

Uma das principais preocupações de Martinho Lutero,era que todas as pessoas pudessem ler o livro no qual os ensinamentos católicos estariam escritos e assim poderem tirar suas próprias conclusões. Por isto Martin Lutero traduziu a Bíblia para o Alemão para que todos pudessem lê-la em sua própria língua. Alguns anos mais tarde, a bíblia foi traduzida para o Inglês, Francês e Espanhol as pessoas passaram a ler a Bíblia e terem suas próprias conclusões. Aos poucos a Igreja Católica foi perdendo poder e influência. Depois de Lutero a Igreja Católica nunca mais conseguiu exercer o forte domínio sobre a Europa como tinha antes da Reforma Protestante.

Pouco a pouco, o ideal de reforma da Igreja Católica que Lutero possuía foi sendo sufocado e o Reformador viu-se obrigado, juntamente com seus seguidores, a formar um grupo separado de cristãos que queriam permanecer fiéis às suas idéias. Surgia assim a Igreja Luterana.

As Confissões Luteranas

As Confissões Luteranas podem também ser consideradas como estandarte, em torno do qual os luteranos cerram fileiras em defesa de suas visões doutrinárias da Escritura sagrada contra o erro, ou podem ser consideradas como uma bandeira, à qual os mestres da igreja prestam juramento de fidelidade. Cada membro da Igreja Luterana deve subscrever não apenas a Bíblia, mas também as confissões como exposição correta das doutrina bíblicas. Para o leigo isto significa, ao menos, o Catecismo de Lutero; para o pastor e professor significam todas as confissões adotadas pela Igreja Luterana.

 

Em suas constituições, os grupos luteranos – congregações, bem como sínodos – geralmente definem sua posição doutrinária mais ou menos nestas palavras: "Confessamos que os livros canônicos do Antigo e do Novo Testamento são a palavra de Deus inspirada e, portanto, a única regra de fé e vida, e que as confissões da Igreja Luterana são uma exposição correta das doutrinas desta palavra". Por que esta firme insistência, como resumido nas confissões luteranas? Porque para luteranos não pode haver nada mais importante do que as doutrinas expostas conforme sua interpretação da Bíblia.

Em vista do precedente, segundo sua interpretação, o termo "igreja" jamais deveria ser empregado para definir um grupo religioso que não pertence ao Senhor como seu corpo (Ef. 1.22,23). Uma seita que, de acordo com sua visão, nega a divindade de Jesus, como a dos unitaristas não deveria ser chamada igreja.

 

Escreve Lutero nos Artigos de Esmalcalde: "Graças a Deus, (hoje) uma criança de sete anos de idade sabe o que é a igreja, a saber, os santos crentes e cordeiros que escutam a voz do seu Pastor" (parte III, art. XII, cf. Livro de Concórdia, p. 338). Em seu Catecismo Maior, ele apresenta essa definição clássica: "Eu creio que há sobre a terra um pequeno grupo santo e congregação de santos puros sob uma cabeça, Cristo, chamados pelo Espírito Santo para uma fé, uma mente e uma compreensão, com dons multiformes, entretanto concordando em amor, sem seitas nem cismas. Também faço parte do mesmo, sendo participante e co-proprietário de todos os bens que possui, trazido a ele e incorporado nele pelo Espírito Santo pelo ouvir e pelo continuar a ouvir a palavra de Deus, que é o processo de iniciação nele. Pois, anteriormente, antes de termos alcançado isto, pertencíamos ao diabo, nada sabendo de Deus e de Cristo. Assim, até o último dia, o Espírito Santo permanece com a santa congregação, ou cristandade, por intermédio da qual ele nos traz a Cristo, e é ela que o Espírito Santo utiliza para nos ensinar a pregar a palavra; pela igreja ele age e promove a santificação, fazendo-a crescer diariamente e fortalecendo-a na fé e nos frutos que ele faz produzir". (O Credo. Art. III, cf. Livro de Concórdia, p. 454).

A Confissão de Ausburgo

A Confissão de Ausburgo é o documento que Felipe Melanchton escreveu e que foi apresentado, como sendo o testemunho luterano, ao Imperador Carlos V e à Dieta do Santo Império Romano, a 25 de junho de 1530. Compõe-se de vinte e oito artigos. Destes, os primeiros vinte e um apresentam a doutrina luterana e sintetizam os ensinamentos de Lutero. Eles tentam provar que os luteranos não estavam ensinando novas doutrinas, contrárias às Escrituras Sagradas, e que não constituíram uma nova seita religiosa. Os Artigos XXI a XXVIII pretendem tratar dos abusos medievais que os luteranos tinham corrigido.

Sua leitura angariou prosélitos importantes. O bispo Stadion de Ausburgo teria afirmado: "O que foi lido é a pura verdade, e nós não podemos negá-lo". Quando João Eck, um dos mais ativos adversários de Lutero, supostamente disse ao duque Guilherme da Baviera que ele era capaz de refutar a Confissão de Ausburgo com os pais eclesiáticos, mas não com as Sagradas Escrituras, Guilherme teria respondido: "Assim, pois, ouço que os luteranos estão com a Escritura e nós, que seguimos o pontífice, fora dela".

 

Os Credos Ecumênicos

Em reposta à acusação de que a Igreja Luterana se desviou da antiga fé da Igreja Cristã e era, por isso, uma nova seita, os pais luteranos oficialmente declararam sua concordância total com os credos ecumênicos. No prefácio da Fórmula de Concórdia declararam: "E porque imediatamente depois do tempo dos apóstolos e mesmo enquanto eles ainda viviam, falsos mestres e hereges se levantaram, símbolos, isto é, confissões breves e concisas, foram compostos contra eles na igreja primitiva, que foram considerados como a unânime, universal fé cristã e a confissão da Igreja Ortodoxa e verdadeira, a saber, o Credo Apostólico, o Credo Niceno, e o Credo Atanasiano; juramos fidelidade a eles, e deste modo rejeitamos todas as heresias e doutrinas, que, contrárias a eles, têm sido introduzidas na igreja de Deus".

A primeira confissão da fé cristã foi o Credo Apostólico. Divergências posteriores levaram à formulação do Credo Niceno (325) e do Credo Atanasiano (451). Essas três confissões são conhecidas como Credos Ecumênicos ou Universais.

Contudo, com o passar dos tempos, segundo a visão Luterana, a igreja foi se desviando da verdade bíblica. Vozes que clamavam contra o erro foram silenciadas. Martinho Lutero, monge agostiniano, doutor em Teologia e professor da Bíblia na Universidade de Wittemberg, Alemanha, postulou que a igreja estava desviada da verdade bíblica. A Igreja Luterana vê em Lutero um instrumento de Deus para reconduzir a igreja às verdades bíblicas e considera ainda que Deus preparou outros homens fiéis que participaram da causa da Reforma.

Os seguintes documentos formam as Confissões Luteranas:

·                       Catecismo Menor (1529), um resumo de interpretações bíblicas, escritas para o povo.

·                       O Catecismo Maior (1529), as mesmas interpretações detalhadamente explicadas para adultos.

·                       A Confissão de Augsburgo (1530), a principal confissão luterana.

·                       A Apologia (1531), uma defesa da Confissão de Augsburgo.

·                       Os Artigos de Esmalcalde (1537) reafirmam os ensinos da Confissão de Augsburgo e expõem, com mais profundidade, a doutrina da Santa Ceia, segundo a visão Luterana.

·                       A Fórmula de Concórdia (1577), que define o pecado original, a impossibilidade de o homem salvar-se por suas próprias forças e a pessoa e obra de Cristo.

As Confissões foram reunidas no Livro de Concórdia, em 1580, que é aceito hoje por muitas igrejas luteranas no mundo. Essas igrejas afirmam: " Aceitamos todos os livros canônicos das Escrituras Sagradas do Antigo e Novo Testamentos, como palavra infalível de Deus e, como exposição correta da Escritura Sagrada, aceitamos os livros simbólicos reunidos no Livro de Concórdia." A Escritura ou Bíblia Sagrada é a única norma na igreja para doutrina e praxe.

 

Luteranismo Mundial

A distribuição dos Luteranos hoje se encontra da seguinte forma:

Europa: 53 milhões;

África: 15 milhões;

América: 11 milhões;

Ásia: 8,5 milhões.

 

Os países com o maior número de Luteranos hoje são:

1º) Alemanha: 24,1 milhões;

2º) Estados Unidos: 8,9 milhões;

3º) Suécia: 7 milhões;

4º) Finlândia: 4,6 milhões;

5º) Dinamarca: 4,5 milhões;

6º) Etiópia: 4,3 milhões;

7º) Indonésia: 4,3 milhões;

8º) Noruega: 4 milhões;

9º) Tanzânia: 3,5 milhões;

10º) Madagascar: 3 milhões;

11º) Brasil: 1 mihão.

 

Hoje mundo afora existe cerca de 250 ramos Luteranos, desta igrejas mais de 160 estão filiadas a (LWF) Federação Luterana Mundial e mais 50 fazem parte do (ILC) Concílio Luterano Internacional. As demais Igrejas Luteranas estão na sua maioria filiadas à Conferência Luterana Confessional e várias outras se intitulam Comunidades Luteranas Indepedentes. segundo dados levantados no período de 2005 / 2006 o número de Luteranos ultrapassa a marca dos 87.000.000. Mesmo com uma queda considerável na Europa o percentual de luteranos continua crescendo, no período de 2001 / 2006 houve um crescimento de quase 5.000.000 adeptos.

 

O Luteranismo Brasileiro

No ano de 1532 chegou ao Brasil o primeiro Luterano, Heliodoro Heoboano, filho de um amigo de Lutero, que aportou em São Vicente.

 

A primeira comunidade Luterana foi a de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro organizada em 1824 por Friedrich Osvald Sauerbronn o primeiro pastor luterano no Brasil. O Luteranismo se estabeleceu e expandiu em solo brasileiro através da Imigração alemã no Brasil. No Rio Grande do Sul o primeiro pastor luterano Georg Ehlers chegou com a terceira leva de imigrantes à São Leopoldo em 1824.

Dessas comunidades luteranas iniciais surgiram vários sínodos que foram se aglutinando e hoje formam especialmente duas igrejas: Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil e a Igreja Evangélica Luterana do Brasil.

 

No século XIX, após a ordem de unificação dos luteranos com os reformados sob o comando do estado, na Prússia, o maior estado da Alemanha desta época, muitos dos que não concordaram com esta decisão, defendendo a distinção entre Igreja e Estado, emigraram para a América do Norte, fundando, em 1849, o "Sínodo de Missouri, Ohio e outros estados", que hoje é a LC-MS (Lutheran Church - Missouri Synod). Assim,enquanto a maioria dos luteranos que chegaram ao Brasil em 1824 eram provenientes da linha estatal alemã, que gerou os diversos sínodos que deram origem à IECLB, a IELB é fruto de missão da igreja norte-americana a partir de 1900, que veio atendendo pedidos de luteranos no Brasil que desejavam atendimento daquele Sínodo Luterano.

 

Em 1 de julho de 1900, foi fundada uma congregação luterana no município de São Pedro, RS. Esta congregação enviou o chamado para um pastor do Sínodo de Missouri. Este pastor, Rev. W. Mahler, veio em 1901.

 

O número total de luteranos no Brasil, atualmente, é de pouco mais de um milhão.

Distribuição de luteranos no Brasil

·        Rio Grande do Sul: 630 mil

·        Santa Catarina: 260 mil

·        Paraná: 90 mil

·        Espírito Santo: 85 mil

·        São Paulo: 45 mil

·        Rondônia: 21 mil

·        Minas Gerais e Rio de Janeiro: 35 mil

·        Região Centro-Oeste: 27 mil

·        Região Nordeste: 10 mil

·        Região Norte (exceto Rondônia): 5 mil

Ver também

·         Protestantes por país

·         Justificação (teologia)

·         Museu Internacional da Reforma Protestante de Genebra

·         Igreja da Suécia

Referências

·         Federação Luterana Mundial

·         Igreja Luterana na Alemanha

·         Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (em português)

·         Igreja Evangélica Luterana do Brasil (em português)

·         Concílio Luterano Internacional

·         Igreja Luterana - Sínodo de Missouri

·         Comissão Inter-Luterana de Literatura (em português)

·         Igreja Evangélica Luterana Portuguesa (em português)

·         Conferência Luterana Confessional

·         Sínodo Evangélico Luterano de Wisconsin

·         Sínodo Evangélico Luterano

·         Associação das Igrejas Luteranas Livres do Brasil (em português)

·         The Association of Free Lutheran Congregations (AFLC)

·         Igreja Luterana de Portugal (em português)

Fonte: Wikipedia

 

108.2.6.7.6 - BRASIL PARA CRISTO (Evangélicos)

A Igreja Pentecostal O Brasil para Cristo é uma denominação pentecostal fundada em 1955.

História

Iniciada por Manoel de Mello e Silva (1929-1990), um trabalhador da construção civil que veio a São Paulo do sertão pernambucano, converteu-se ao protestantismo na Assembleia de Deus e algum tempo depois aderiu à Cruzada Nacional Evangelização, hoje nomeada Igreja do Evangelho Quadrangular. Foi ordenado ministro pela International Church of the Foursquare Gospel, igreja estadunidense que organizou os trabalhos missionários que fundaram a Igreja Quadrangular no Brasil.

Em 1955, Manoel teria tido uma visão de Jesus Cristo, a qual ele próprio narra: "Em 1.955 tive uma visão espiritual na qual o Senhor Jesus me apareceu e me deu ordens para começar, no Brasil, um movimento de reavivamento espiritual, evangelização e cura divina, e o Senhor Jesus mesmo deu-me o nome: 'O Brasil Para Cristo'. Obedeci a ordem. Aleluia! Sem dúvida alguma começava no Brasil o maior movimento de evangelização e reavivamento espiritual de toda a América Latina." [1] Deus é fiel O seu programa A Voz do Brasil para Cristo ficou no ar por duas décadas. Conduziu reuniões em praças públicas e estádios de futebol. A IOBPC cresceu na maior parte em áreas pobres e operárias da Zona leste de São Paulo.

A OBPC alcançou destaque entre as denominações pentecostais do Brasil mas é timidamente representada no exterior. Alguns movimentos pentecostais têm origem na igreja, como a Igreja Pentecostal Deus é Amor, e a Casa da Bênção[carece de fontes?]. Por um período de tempo, a OBPC foi membro do Conselho Mundial das Igrejas.

Manoel de Mello deixou a direção de sua igreja em 1986 e morreu em 05 de maio de 1990. Após a morte de seu fundador, a OBPC perdeu seu ímpeto inicial e parte da membresia migrou para igrejas neopentecostais. Desta forma houve significativa redução de sua membresia (teria chegado a agregar 1 milhão de pessoas na década de 1970), possuindo hoje, 4000 congregações com 400 mil membros no Brasil e presença no Paraguai, Bolivia, Peru, Chile, Uruguai, Argentina, Portugal e nos EUA.

A OBPC tem como sua sede o Grande Templo, no bairro da Vila Pompéia, zona oeste de São Paulo, na Rua Carlos Vicari 124. O Grande Templo começou a ser construído nos anos de 1960, e foi considerado por décadas o maior Templo Evangélico do Mundo [2], com capacidade de aproximadamente 9000 pessoas.

Departamentos

Jubrac, sigla de Juventude Unida do Brasil para Cristo é o Departamento de jovens da igreja.

Ufebrac, sigla de União Feminina do Brasil para Cristo é o Departamento das mulheres da Igreja.

Umasbrac, sigla de União Masculina do Brasil para Cristo é o Departamento dos homens da igreja.

Menibrac, sigla de Meninada de o Brasil para Cristo é o Departamento das Crianças da Igreja.

Adobrac, sigla de Adolescentes de O Brasil Para Cristo é o Departamento dos Adolescentes da Igreja

Fonte: Wikipedia

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.7 - PRESBITERIANA (Evangélicos)

Presbiterianismo se refere as igrejas cristãs protestantes que aderem à tradição teólogica reformada (calvinismo) e cuja forma de organização eclesiástica se caracteriza pelo governo de uma assembléia de presbíteros, ou ancião. Há muitas entidades autônomas em países por todo o mundo que subscrevem igualmente o presbiterianismo. Para além de distinções traçadas entre fronteiras nacionais, os presbiterianos também se dividiram por razões doutrinais, em especial no seguimento do Iluminismo.

 

A Igreja Presbiteriana é oriunda da Reforma Protestante do Séc. XVI, e mantém o caráter católico da Igreja (traduzida literalmente e especificamente só como "Igreja Universal"), como declarado no Credo dos apóstolos.

 

É uma denominação cristã comprometida com valores éticos e morais. Sua atuação no contexto social brasileiro, por exemplo, é marcante, através de instituições de ensino desde o infantil até o superior, que têm alcançado excelência e reconhecimento internacional, como por exemplo, Universidade Presbiteriana Mackenzie, Instituto Presbiteriano Gammon, entre outras.

História do Presbiterianismo

O nome destas denominações deriva da palavra grega presbyteros, que significa literalmente "ancião". O governo presbiteriano é comum nas igrejas protestantes que foram modeladas segundo a Reforma Protestante na Suíça.

Na Inglaterra, Escócia e Irlanda, as igrejas reformadas que adoptaram uma forma de governo presbiteriano em vez de episcopal ficaram conhecidas como igrejas Presbiterianas.

 

Na Escócia, John Knox (1505-1572), que tinha estudado com João Calvino em Genebra, levou o Parlamento da Escócia a abraçar a Reforma Protestante em 1560. A primeira Igreja Presbiteriana, a Church of Scotland (ou Kirk), foi fundada como resultado disso.

 

Na Inglaterra, o presbiterianismo foi estabelecido secretamente em 1572, nos finais do reinado da raínha Elizabeth I de Inglaterra. Em 1647, por efeito de uma lei do Longo Parlamento sob o controle dos Puritanos, o presbiterianismo foi estabelecido para a Igreja Anglicana (Church of England). O restabelecimento da monarquia em 1660 trouxe também o restabelecimento da forma de governo episcopal na Inglaterra (e, por um período curto, na Escócia); mas a Igreja Presbiteriana continuou a ser considerada não-conforme, fora da igreja estabelecida.

 

Na Irlanda, o presbiterianismo foi estabelecido por imigrantes escoceses e missionários ao Ulster. O presbítero de Ulster foi formado separadamente da igreja estabelecida, em 1642. Todos os três, ramos muito diversos do presbiterianismo, bem como igrejas independentes e algumas denominações Holandesas, Alemãs e Francesas, foram combinadas nos EUA para formar aquilo que se tornou conhecido como a Presbyterian Church USA (1705). A igreja presbiteriana na Inglaterra e País de Gales é a United Reformed Church, enquanto que esta tradição também influenciou a Igreja Metodista, fundada em 1736.

Os Presbiterianos destacam-se pelo incentivo à educação, entre as inúmeras instituições presbiterianas espalhadas pelo mundo destacam-se a Yale University e o Instituto e Universidade Mackenzie.

 

O governo presbiteriano

O governo presbiteriano é uma forma de organização da Igreja que se caracteriza pelo governo de um Presbitério, ou seja: uma assembléia de presbíteros, ou anciãos. Esta forma de governo foi desenvolvida como rejeição ao domínio por hierarquias de bispos individuais (forma de governo episcopal). Esta teoria de governo está fortemente associada com os movimentos da Reforma Protestante na Suíça e na Escócia (calvinistas), com as igrejas reformadas e mais particularmente com a Igreja Presbiteriana.

 

O Presbiterianismo assenta em pressupostos específicos sobre a forma de governo desejada pelo Novo Testamento:

·         A função do ministério da palavra de Deus e a administração dos sacramentos é ordinariamente atribuída ao pastor em cada congregação (igreja) local. As congregações são núcleos dependentes da igreja local.

·         A administração da ordenação e legislação está a cargo das assembleias de presbíteros, entre os quais os ministros e outros anciãos são participantes de igual importância. Estas assembléias são chamadas concílios.

·         Todas as pessoas são sacerdotes, preocupado com a sua própria salvação, em nome dos quais os anciãos são chamados a servir pelo assentimento da congregação (sacerdócio de todos os crentes).

Desta forma, o papel governamental dos presbíteros é limitado à tomada de decisões quando há uma reunião, sendo de resto a função dos pastores e o serviço da congregação, orar por eles e encorajá-los na sua fé. Esta forma de governo permite a flexibilidade na tomada de decisão, em contraste com o que acontece nas Igrejas em que bispos detêm um poder concentrado.

 

Os concílios presbiterianos crescem em gradação hierárquica. Cada Igreja local tem o seu concílio, chamado de sessão ou conselho. As igrejas de uma determinada região compõem um concílio maior chamado presbitério. Os presbitérios, por sua vez, compõem um sínodo. O concílio maior numa igreja presbiteriana é a assembleia geral ou supremo concílio.

Algumas denominações presbiterianas

Escócia

·         Church of Scotland

Brasil

·         Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB)

·         Igreja Presbiteriana Independente do Brasil (IPIB)

·         Igreja Presbiteriana Unida do Brasil (IPU)

·         Igreja Presbiteriana Conservadora do Brasil (IPC)

·         Igreja Presbiteriana Bíblica Fundamentalista (IPBF)

·         Igreja Presbiteriana Renovada (IPR)

Portugal

·         Igreja Cristã Presbiteriana de Portugal (ICPP)

·         Igreja Evangélica Presbiteriana de Portugal (IEPP)

·         Igreja Presbiteriana Missionária de Portugal (IPMP)

EUA

·         Presbyterian Church USA (PCUSA)

·         Presbyterian Church in America (PCA)

·         Orthodox Presbyterian Church (OPC)

·         Evangelical Presbyterian Church (EPC)

·         Reformed Presbyterian Church (RPC)

·         Bible Presbyterian Church (BPC)

·         Associate Reformed Presbyterian Church (ARPC)

·         Cumberland Presbyterian Church (CPC)

·         Cumberland Presbyterian Church in America (CPCA)

·         Westminster Presbyterian Church in the United States (WPCUS)

·         Reformed Presbyterian Church in the United States (RPCUS)

Canadá

·         Presbyterian Church in Canada (PCC)

França

·         Igreja Reformada Francesa (Em Francês: L’Eglise Réformée de France, ÉRF)

Irlanda

·         Presbyterian Church in Ireland (PCI)

·         Free Presbyterian Church of Ulster (PCI)

·         Non-subscribing Presbyterian Church of Ireland (NSCPI)

·         Reformed Presbyterian Church of Ireland (PCI)

·         Evangelical Presbyterian Church

País de Gales

·         Presbyterian Church of Wales (PCW)

Hungria

·         Hungarian Reformed Church (HRC)

Coréia do Sul

·         Myungsung Presbyterian Church

Taiwan

·         Presbyterian Church in Taiwan (PCT)

Austrália

·         Presbyterian Church of Australia

Nova Zelândia

·         Presbyterian Church of Aotearoa New Zealand (PCANZ)

Vanuatu

·         Presbyterian Church of Vanuatu

Ver também

·         Governo eclesiástico

·         Instituto Presbiteriano Mackenzie

·         Anexo:Cronologia das igrejas evangélicas

Fonte:wikipedia

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.8 - PIETISMO

Pietismo foi um movimento surgido no final do século XVII dentro do Luteranismo, como oposição à negligência da ortodoxia luterana para com a dimensão pessoal da religião. O Pietismo influenciou o surgimento de movimentos religiosos independentes de inspiração protestante tais como o pentecostalismo, o neo-pentecostalismo e o carismatismo, todos de caráter Anabatista. O Pietismo combinava o Luteranismo do tempo da reforma (como o Calvinismo) e o Puritanismo, enfatizando a piedade do indivíduo e uma vigorosa vida cristã.

 

Histórico

A origem do Pietismo é atribuída a Philip Jacob Spener. Nascido em Rappoltsweiler na Alsácia no dia 13 de janeiro de 1635, treinado por uma madrinha devota que se utilizava de livros de devoção como "Arndt's True Christianity", Spener foi convencido da necessidade de uma reforma moral e religiosa no Luteranismo germânico. Ele estudou teologia em Strasbourg, onde os professores da época (especialmente Sebastian Schmidt) tinham inclinação para o "Cristianismo prático" ao invés da disputa teológica. Ele posteriormente passou um ano em Genebra, e foi poderosamente influenciado pela rígida disciplina eclesiástica e pela vida moral estrita aí prevalescente, e também pela pregação e piedade do professor Antoine Leger e dos pregador jesuíta convertido ao protestasntismo Jean de Labadie.

Durante uma estada em Tübingen, Spener leu o Grossgebauer's Alarm Cry, e em 1666 recebeu seu primeiro encargo pastoral em Frankfurt com a opinião de que a vida cristã no seio do Luteranismo (Lutheranism Evangelical) estava a ser sacrificada pelo rígido zelo da ortodoxia. O Pietismo, foi um movimento distinto na Igreja alemã, originando-se através de Spener que promovia reuniões religiosas em sua casa (collegia pietatis) em que pregava seus sermões, expondo passagens do Novo Testamento e induzindo os presentes a participar na discussão de questões religiosas que surgiram. Em 1675 publicou o Pia desideria ou Earnest Desires for a Reform of the True Evangelical Church, cujo título deu origem ao termo "Pietists". Nesta publicação ele fez seis propostas como o melhor meio de restaurar a vida da Igreja:

1.      Sério e profundo estudo da Bíblia em reuniões privadas, em ecclesiolae ecclesia ( "igrejas dentro da Igreja");

2.      O Cristianismo sendo o sacerdócio universal, os leigos devem partilhar no governo espiritual da Igreja;

3.      O conhecimento do Cristianismo deve ser alcançado através da prática;

4.      Ao invés de ataques aos incrédulos e heterodoxos, dar um tratamento simpático e gentil a eles;

5.      Uma reorganização da formação teológica das universidades, dando maior destaque à vida devocional;

6.      Um estilo diferente de pregação, ou seja, no lugar de retórica agradável, a implantação do cristianismo, no interior ou novo homem, que é a alma da fé, devendo trazer frutos para a vida.

Este trabalho produziu uma grande impressão em toda a Alemanha e, embora um grande número de teólogos e pastores luteranos ortodoxos tenham sido profundamente ofendidos por Spener em seu livro, as suas reivindicações foram admitidas e muito bem justificadas. Consequentemente, um grande número de pastores imediatamente adotaram as propostas de Spener.

Doutrina

O tema central do pietismo é a experiência do crente com Deus, sua condição de pecador e o caminho para sua salvação. Sublinhava-se a necessidade da conversão individual e do nascer de uma nova conduta no crente, desapegada do mundo material e firmada no apoio mútuo da comunidade reunida em culto ao redor do estudo da Bíblia. Ao enfatizar a dimensão experiencial e a prática da fé, os pietistas, por um lado, desenvolveram uma moralidade ascética por vezes áspera, especialmente no que tange à alimentação, vestimenta e lazer; por outro lado, enfatizaram um sentimento de responsabilidade para com o mundo, do qual desdobraram-se atividades de missão e caridade. Além disso, dada a ênfase no contato direto da pessoa com Deus, as diferenciações entre clero e laicato foram amainadas e o sentimento de pertença eclesiástica arrefecido nas experiências de pequenos grupos (ecclesiola in ecclesiae)., os "collegia pietatis".

Defendia uma experiência vitalista da fé, pela demonstração e comprovação desta numa piedade prática, através da rejeição do espírito mundano e pela participação a(c)tiva dos leigos em reuniões ou conventículos de «cristãos conversos».

O pietismo prático foi promovido pela nova universidade pietista de Halle (Saale).

Um pietismo intimamente ligado a um organização eclesial surgiu em Württemberg. Mais tarde, o conde August Hermann von Zinderdorf fundou uma comunidade dos «irmãos de Hurrnhut».

Depois de ter manifestado a sua oposição à intransigente ortodoxia calvinista, o pietismo revolta-se também contra o racionalismo.

As aspirações escatológicas, a interpretação subjectiva, mística e entusiástica da piedade, unidas muitas vezes a um rigorismo de tipo legalista, levaram à dissolução do pietismo em diversos segmentos cristãos.

O pietismo desprezava a jurisdição eclesiástica, considerando apenas a teologia mística e a contemplação espiritual. Atacava com veemência a imoralidade que imperava desde a Guerra dos Trinta Anos.

Como verdadeiro mentor e chefe do movimento surge Philip Jacob Spener (1635-1705), conhecido pela sua obra Pia desideria (1676). Outras figuras importantes do pietismo foram: August Hermann Francke, Albrecht Bengel, Paul Anton e Schade.

No Brasil o Pietismo se encontra presente dentro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil por meio da Missão Evangélica União Cristã. E também está presente na Igreja Evangélica Congregacional do Brasil, como base teológica da denominação. Também a Igreja do Cristianismo Decidido surgiu no Brasil a partir de uma missão luterana pietista da Alemanha na cidade de Curitiba.

Ligações externas

·         New Schaff-Herzog Encyclopedia of Religious Knowledge, Vol. IX: Pietism

·         After Three Centuries - The Legacy of Pietism by E.C. Fredrich

·         Literary Landmarks of Pietism by Martin O. Westerhaus

·         Pietism’s World Mission Enterprise by Ernst H. Wendland

Fonte: Wikipedia

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.9 - ARMINIASMO

O Arminianismo é uma escola de pensamento soterológica de dentro do cristianismo protestante, baseada sobre idéias do teólogo reformado holandes Jacó Armínio (1560 - 1609)[1] e seus seguidores históricos, os Remonstrantes. A aceitação doutrinária se estende por boa parte do cristianismo desde os primeiros argumentos entre Atanásio e Orígenes, até a defesa de Agostinho de Hipona do "pecado original."

Desde o século XVI, muitos cristãos incluindo os batistas (Ver A History of the Baptists terceira edição por Robert G. Torbet) tem sido influenciados pela visão arminiana. Também os metodistas, os congregacionalistas das primeiras colônias da Nova Inglaterra nos séculos XVII e XVIII, e os universalistas e unitários nos séculos XVIII e XIX.

O arminianismo segue os seguintes princípios:

·         Os seres humanos são naturalmente incapazes de fazer qualquer esforço para a salvação. (veja também graça preveniente)

·         A salvação só é possível pela graça de Deus, a qual não pode ser merecida.

·         Nenhuma obra de esforço humano pode causar ou contribuir para a salvação.

·         A eleição divina é condicional a fé no sacrifício e Senhorio de Jesus Cristo.

·         A expiação de Cristo foi feita em nome de todas as pessoas.

·         Deus permite que sua graça seja resistida por aqueles que livremente rejeitam a Cristo.

·         Os crentes são capazes de resistir ao pecado, mas não estão além da possibilidade de queda da graça através da persistência, sem o arrependimento do pecado.[2]

O termo arminianismo é usado para definir aqueles que afirmam as crenças originadas por Jacó Armínio (foto ao lado), porém o termo também pode ser entendido de forma mais ampla para um agrupamento maior de idéias, incluindo as de Hugo Grotius, John Wesley e outros. Há duas perspectivas principais sobre como o sistema pode ser aplicado corretamente: arminianismo clássico, que vê em Armínio o seu representante; e arminianismo wesleyano, que vê em John Wesley o seu representante. O arminianismo wesleyano é por vezes sinônimo de metodismo. Além disso, o arminianismo é muitas vezes mal interpretado por alguns dos seus críticos que o inclue no semipelagianismo ou no pelagianismo, ainda que os defensores de ambas as perspectivas principais neguem veementemente essas alegações.[3]

Dentro do vasto campo da história da teologia cristã, o arminianismo está intimamente relacionado com o calvinismo (ou teologia reformada), sendo que os dois sistemas compartilham a mesma história e muitas doutrinas. No entanto, eles são frequentemente vistos como rivais dentro do evangelicalismo por causa de suas divergências sobre os detalhes das doutrina da predestinação e da salvação.[4]

História

Embora tenha sido discípulo do notável calvinista Teodoro de Beza, Armínio defendeu uma forma evangélica de sinergismo (crença que a salvação do homem depende da cooperação entre Deus e o homem), que é contrário ao monergismo, do qual faz parte o calvinismo (crença de que a salvação é inteiramente determinada por Deus, sem nenhuma participação livre do homem). O sinergismo arminiano difere substancialmente de outras formas de sinergismo, tais como o pelagianismo e o semipelagianismo, como se demonstrará adiante. De modo análogo, também há variações entre as crenças monergistas, tais como o supra-lapsarianismo e o infra-lapsarianismo.

Armínio não foi primeiro e nem o último sinergista na história da Igreja. De fato, há dúvidas quanto ao fato de que ele tenha introduzido algo de novo na teologia cristã. Os próprios arminianos costumavam afirmar que os pais da Igreja grega dos primeiros séculos da era cristã e muitos dos teólogos católicos medievais eram sinergistas, tais como o reformador católico Erasmo de Roterdã. Até mesmo Philipp Melanchthon (1497-1560), companheiro de Lutero na reforma alemã, era sinergista, embora o próprio Lutero não fosse.

Armínio e seus seguidores divergiram do monergismo calvinista por entenderem que as crenças calvinistas na eleição incondicional (e especialmente na reprovação incondicional), na expiação limitada e na graça irresistível:

·         seriam incompatíveis com o caráter de Deus, que é amoroso, compassivo, bom e deseja que todos se salvem.

·         violariam o caráter pessoal da relação entre Deus e o homem.

·         levariam à conseqüência lógica inevitável de que Deus fosse o autor do mal e do pecado.

Contexto histórico

Para se compreender os motivos que levaram à aguda controvérsia entre o calvinismo e o arminianismo, é preciso compreender o contexto histórico e político no qual se inseriam os Países Baixos à época.

De acordo com historiadores, tais como Carl Bangs, autor de "Arminius: A Study in the Dutch Reformation (1985)", as igrejas reformadas da região eram protestantes, em sentido geral, e não rigidamente calvinistas. Embora aceitassem o catecismo de Heidelberg como declaração primária de fé, não exigiam que seus ministros ou teólogos aderissem aos princípios calvinistas, que vinham sendo desenvolvidos em Genebra, por Beza. Havia relativa tolerância entre os protestantes holandeses. De fato, havia tanto calvinistas quanto luteranos. Os seguidores do sinergismo de Melanchthon conviviam pacificamente com os que professavam o supralapsarianismo de Beza. O próprio Armínio, acostumado com tal "unidade na diversidade", mostrou-se estarrecido, em algumas ocasiões, com as exageradas reações calvinistas ao seu ensino.

Essa convivência pacífica começou a ser destruída quando Franciscus Gomarus, colega de Armínio na Universidade de Leiden, passou a defender que os padrões doutrinários das igrejas e universidades holandesas fossem calvinistas. Então, lançou um ataque contra os moderados, incluindo Armínio.

De início, a campanha para impor o calvinismo não foi bem sucedida. Tanto a igreja quanto o Estado não consideravam que a teologia de Armínio fosse heterodoxa. Isso mudou quando a política passou a interferir no processo.

À época, os países baixos, liderados pelo príncipe Maurício de Nassau, calvinista, estavam em guerra contra a dominação da Espanha, católica. Alguns calvinistas passaram a convencer os governantes dos Países Baixos, e especialmente o príncipe Nassau, de que apenas a sua teologia proveria uma proteção segura contra a influência do catolicismo espanhol. De fato, caricaturas da época apresentavam Armínio como um jesuíta disfarçado. Nada disso foi jamais comprovado.

Depois da morte de Armínio, o governo começou a interferir cada vez mais na controvérsia teológica sobre predestinação. O príncipe Nassau destituiu os arminianos dos cargos políticos que ocupavam. Um arminiano foi executado e outros foram presos. O conflito teológico atingiu tamanha proporção que levou a Igreja a convocar o Sínodo Nacional da Igreja Reformada, em Dort, mais conhecido como o Sínodo de Dort, onde os arminianos, conhecidos como "remonstrantes", tiveram a oportunidade de defender seus pontos de vista perante as autoridades, partidárias do calvinismo. As discussões ocorreram em 154 reuniões iniciadas em 13 de novembro 1618 e encerrada em 9 de maio de 1619, cujo o assunto era a predestinação incondicional defendida pelo calvinismo e a predestinação condicional defendida pelo arminianismo. Os arminianos acabaram sendo condenados como hereges, destituídos de seus cargos eclesiásticos e seculares, tiveram suas propriedades expropriadas e foram exilados.

Logo que Maurício de Nassau morreu, os calvinistas perderam o seu poder na região e os arminianos puderam retornar ao país, onde fundaram igrejas e um seminário, o qual até hoje existe na Holanda (Remonstrants Seminarium).

Em síntese, as igrejas protestantes holandesas continham diversidade teológica, à época de Armínio. Tanto monergistas quanto sinergistas eram ali representados e conviviam pacificamente. O que levou a visão monergista à supremacia foi o poder do Estado, representado pelo príncipe Maurício de Nassau, que perseguiu os sinergistas.

Para Armínio e seus seguidores, sua teologia também era compatível com a reforma protestante. Em sua opinião, tanto o calvinismo quanto o arminianismo são duas correntes inseridas na reforma protestante, por serem, ambas, compatíveis com o lema dos reformados sola gratia, sola fide, sola scriptura.

Teologia

A teologia arminiana geralmente cai em um dos dois grupos - Arminianismo Clássico, elaborado a partir do ensino de Jacó Armínio - e Arminianismo Wesleyano, com base principalmente de Wesley. Ambos os grupos se sobrepõem consideravelmente.

Arminianismo Clássico

O arminianismo classico (às vezes chamado de arminianismo reformado) é o sistema teológico que foi apresentado por Jacó Armínio e mantido pelos Remonstrantes[5]; sua influência serve como base para todos os sistemas arminianos. A lista de crenças é dado abaixo:

 

  • A Depravação é total: Armínio declarou: "Neste estado [caído], o livre arbítrio do homem para o verdadeiro bem não está apenas ferido, enfermo, dobrado, e enfraquecido, mas ele está também preso, destruído, e perdido. E os seus poderes não só estão debilitados e inúteis a menos que seja assistido pela graça, mas não tem poder nenhum exceto como está animado pela graça divina."[6]

 

  • A Expiação destina-se para todos: Jesus foi para todas as pessoas, Jesus atrai todos a si mesmo, e todas as pessoas têm oportunidade para a salvação pela fé.[7]

 

  • A morte de Jesus satisfaz a justiça de Deus: A penalidade pelos pecados dos eleitos é pago integralmente através da obra de Jesus na cruz. Assim, a expiação de Cristo é destinado a todos, mas requer fé para ser efetuada. Armíno declarou "Justificação, quando usado para o ato de um juiz, ou é meramente a imputação da justiça através da misericórdia ... ou que o homem é justificado diante de Deus ... de acordo com o rigor da justiça sem perdão."[8] Stephen Ashby esclarece "Armínio considera apenas duas maneiras possíveis em que o pecador pode ser justificado: (1) pela nossa adesão absoluta e perfeita à lei, ou (2) puramente pela imputação da justiça de Deus de Cristo."[9]

 

  • A graça é resistível: Deus toma a iniciativa no processo de salvação e a sua graça vem a todas as pessoas. Esta graça (muitas vezes chamado de preveniente ou pré-graça regeneradora) age em todas as pessoas para convencê-los do Evangelho, desenhá-los fortemente para a salvação, e permitir a possibilidade de uma fé sincera. Picirilli declarou "Certamente esta graça está tão perto de regeneração que leva inevitavelmente a regeneração se finalmente resistiu." [10] A oferta de salvação pela graça de não agir irresistivelmente em um puramente de causa-efeito, o método determinístico, mas sim em uma de influência e moda resposta que tanto pode ser livremente aceita e livremente negada. [11]

 

  • O homem tem livre arbítrio para responder ou resistir: O livre-arbítrio é limitado pela soberania de Deus, mas a soberania de Deus permite que todos os homens tenham a opção de aceitar o Evangelho de Jesus através da fé, simultaneamente, permite que todos os homens resistam.

 

  • A eleição é condicional: Armínio define eleição como "o decreto de Deus pelo qual, de Si mesmo, desde a eternidade, decretou justificar em Cristo, os crentes, e a aceitá-los para a vida eterna."[12] Só Deus determina quem será salvo e sua determinação é que todos os que crêem em Jesus através da fé sejam justificados. Segundo Armínio, "Deus respeita ninguém em Cristo a menos que sejam enxertados nele pela fé". [12]

 

  • Deus predestina os eleitos, para um futuro glorioso: A predestinação não é a predeterminação de quem vai acreditar, mas sim a predeterminação da herança futura do crente. Os eleitos são, portanto, predestinados a filiação através da adoção, a glorificação, e a vida eterna. [13]

 

  • A segurança eterna é também condicional: condicional Todos os crentes têm plena certeza da salvação com a condição de que eles permaneçam em Cristo. A salvação está condicionada à fé, perseverança, portanto, também está condicionada.[14] Apostasia (desvio de Cristo) só é cometida por uma deliberada e proposital rejeição de Jesus e renúncia da fé.[15]

Os Cinco Artigos da Remonstrancia que os seguidores de Armínio formularam em 1610 o estado acima de crenças relativas (I) eleição condicional, (II) expiação ilimitada, (III) depravação total, (IV) depravação total e a graça resistível, e (V) possibilidade de apostasia. Note, entretanto, que o artigo quinto não nega completamente a perseverança dos santos, Armínio mesmo, disse que "nunca me ensinaram que um verdadeiro crente pode cair ... longe da fé ... ainda não vou esconder que há passagens de Escritura que parecem-me usar este aspecto, e as respostas a elas que me foi permitido ver, não são como a gentileza de aprovar-se em todos os pontos para o meu entendimento ".[16] Além disso, o texto dos artigos da Remonstrancia diz que nenhum crente pode ser arrancado da mão de Cristo, e à questão da apostasia, "a perda da salvação" é necessário mais estudos antes que pudesse ser ensinada com plena certeza.

As crenças básicas de Jacó Armínio e os Remonstrances estão resumidos como tal pelo teólogo Stephen Ashby:

1.      Antes de ser chamado e capacitado, alguém é incapaz de crer... somente capaz de resistir.

2.      Depois de ter sido chamado e capacitado, mas antes da regeneração, alguém é capaz de crer... também capaz de resistir.

3.      Após alguém crer, Deus o regenera, alguem é capaz de continuar crendo... também capaz de resistir.

4.      Após resistir ao ponto de descrer, alguem é incapaz de acreditar... só capaz de resistir.''[17]

Interpretação dos Cinco Pontos

O terceiro ponto sepulta qualquer pretensão de associar o arminianismo ao pelagianismo ou ao semipelagianismo. De fato, a doutrina de Armínio é perfeitamente compatível com a Depravação Total calvinista. Ou seja, em seu estado original o homem é herdeiro da natureza pecaminosa de Adão e totalmente incapaz, até mesmo, de desejar se aproximar de Deus. Nenhum homem nasce com o "livre-arbítrio", ou seja, com a capacidade de não resistir a Deus.

O quarto ponto demonstra claramente que é a graça preveniente que restaura no homem a sua capacidade de não resistir à Deus. Portanto, para Armínio, a salvação é pela graça somente e por meio da fé somente. Nesse sentido, os arminianos do coração concordam com os calvinistas no sentido de que a capacitação, por meio da graça, precede a fé, e que até mesmo a fé salvadora seja um dom de Deus. A diferença está na compreensão da operação dessa graça. Para os calvinistas, a graça é concedida apenas aos eleitos, que a ela não podem resistir. Para os arminianos, a expiação por meio de Jesus Cristo é universal e comunica essa graça preveniente a todos os homens; mas ela pode ser resistida. Assim como o pecado entrou no mundo pelo primeiro Adão, a graça foi concedida ao mundo por meio de Cristo, o segundo Adão (conforme Romanos 5:18, João 1:9 etc.). Nesse sentido, os arminianos entendem que I Timóteo 4:10 aponta para duas salvações em Cristo: uma universal e uma especial para os que creem. A primeira corresponde à graça preveniente, concedida a todos os homens, que lhes restaura o arbítrio, ou seja, a capacidade de não resistir a Deus. Ela é distribuída a todos os homens porque Deus é amor (I João 4:8, João 3:16) e deseja que todos os homens se salvem (I Timóteo 2:4, II Pedro 3:9 etc.), conforme defendido no segundo ponto do arminianismo. A segunda é alcançada apenas pelos que não resistem à graça salvadora e creem em Cristo. Estes são os predestinados, segundo a visão arminiana de predestinação.

Portanto, embora a expressão "livre-arbítrio" seja comumente associada ao arminianismo, ela deve ser entendida como "arbítrio liberto" ou "vontade liberta" pela graça preveniente, convencedora, iluminadora e capacitante que torna possíveis o arrependimento e a fé. Sem a atuação da graça, nenhum homem teria livre-arbítrio.

Ao contrário dos calvinistas, os arminianos creem que essa graça preveniente, concedida a todos os homens, não é uma força irresistível, que leva o homem necessariamente à salvação. Para Armínio, tal graça irresistível violaria o caráter pessoal da relação entre Deus e o homem. Assim, todos os homens continuam a ter a capacidade de resistir à Deus, que já possuíam antes da operação da graça (conforme Atos 7:51, Lucas 7:30, Mateus 23:37 etc.). Portanto, a responsabilidade do homem em sua salvação consiste em não resistir ao Espírito Santo. Este é o coração do sinergismo arminiano, o qual difere radicalmente dos sinergismos pelagiano e semipelagiano.

No que tange à perseverança dos santos, os remonstrantes não se posicionaram, já que deixaram a questão em aberto.

Citações das obras de Armínio

Os textos a seguir transcritos, escritos pelo próprio Armínio, são úteis para demonstrar algumas de suas idéias.

…Mas em seu estado caído e pecaminoso, o homem não é capaz, de e por si mesmo, pensar, desejar, ou fazer aquilo que é realmente bom; mas é necessário que ele seja regenerado e renovado em seu intelecto, afeições ou vontade, e em todos os seus poderes, por Deus em Cristo através do Espírito Santo, para que ele possa ser capacitado corretamente a entender, avaliar, considerar, desejar, e executar o que quer que seja verdadeiramente bom. Quando ele é feito participante desta regeneração ou renovação, eu considero que, visto que ele está liberto do pecado, ele é capaz de pensar, desejar e fazer aquilo que é bom, todavia não sem a ajuda contínua da Graça Divina.

Com referência à Graça Divina, creio, (1.) É uma afeição imerecida pela qual Deus é amavelmente afetado em direção a um pecador miserável, e de acordo com a qual ele, em primeiro lugar, doa seu Filho, "para que todo aquele que nele crê tenha a vida eterna," e, depois, ele o justifica em Cristo Jesus e por sua causa, e o admite no direito de filhos, para salvação. (2.) É uma infusão (tanto no entendimento humano quanto na vontade e afeições,) de todos aqueles dons do Espírito Santo que pertencem à regeneração e renovação do homem - tais como a fé, a esperança, a caridade, etc.; pois, sem estes dons graciosos, o homem não é capaz de pensar, desejar, ou fazer qualquer coisa que seja boa. (3.) É aquela perpétua assistência e contínua ajuda do Espírito Santo, de acordo com a qual Ele age sobre o homem que já foi renovado e o excita ao bem, infundindo-lhe pensamentos salutares, inspirando-lhe com bons desejos, para que ele possa dessa forma verdadeiramente desejar tudo que seja bom; e de acordo com a qual Deus pode então desejar trabalhar junto com o homem, para que o homem possa executar o que ele deseja.

Desta maneira, eu atribuo à graça O COMEÇO, A CONTINUIDADE E A CONSUMAÇÃO DE TODO BEM, e a tal ponto eu estendo sua influência, que um homem, embora regenerado, de forma nenhuma pode conceber, desejar, nem fazer qualquer bem, nem resistir a qualquer tentação do mal, sem esta graça preveniente e excitante, seguinte e cooperante. Desta declaração claramente parecerá que de maneira nenhuma eu faço injustiça à graça, atribuindo, como é dito de mim, demais ao livre-arbítrio do homem. Pois toda a controvérsia se reduz à solução desta questão, "a graça de Deus é uma certa força irresistível"? Isto é, a controvérsia não diz respeito àquelas ações ou operações que possam ser atribuídas à graça, (pois eu reconheço e ensino muitas destas ações ou operações quanto qualquer um,) mas ela diz respeito unicamente ao modo de operação, se ela é irresistível ou não. A respeito da qual, creio, de acordo com as escrituras, que muitas pessoas resistem ao Espírito Santo e rejeitam a graça que é oferecida.

Extraído de As Obras de James Arminius Vol. I

Arminianismo Wesleyano

John Wesley foi historicamente o advogado mais influente dos ensinos da soterologia arminiana. Wesley concordou com a vasta maioria daquilo que o próprio Armínio defendeu, mantendo doutrinas fortes, tais como as do pecado original, depravação total, eleição condicional, graça preveniente, expiação ilimitada e possibilidade de apostasia.

Wesley, porém, afastou-se do Arminianismo Clássico em três questões:

  • Expiação A expiação para Wesley é um híbrido da teoria da substituição penal e da teoria governamental de Hugo Grócio, advogado e um dos Remonstrantes. Steven Harper expõe: "Wesley não colocou o elemento substitucionário dentro de uma armação legal …Preferencialmente [sua doutrina busca] trazer para dentro do próprio relacionamento a 'justiça' entre o amor de Deus pelas pessoas e a aversão de Deus ao pecado …isso não é a satisfação de uma demanda legal por justiça; assim, muito disso é um ato de reconciliação imediato."[18]
  •  
  • Possibilidade de apostasia Wesley aceitou completamente a visão arminiana de que cristãos genuínos podem apostatar e perder sua salvação. Seu famoso sermão "A Call to Backsliders" demostra claramente isso. Harper resume da seuinte forma: "o ato de cometer pecado não é ele mesmo fundamento para perda da salvação … a perda da salvação está muito mais relacionada a experiências que são profundas e prolongadas. Wesley via dois caminhos principais que resultam em uma definitiva queda da graça: pecado não confessado e a atitude de apostasia."[19] Wesley discorda de Armínio, contudo, ao sustentar que tal apostasia não é final. Quando menciona aqueles que naufragaram em sua fé (1 Tim 1:19), Wesley argumenta que "não apenas um, ou cem, mas, estou convencido, muitos milhares … incontáveis são os exemplos … daqueles que tinham caído, mas que agora estão de pé"[20]
  •  
  • Perfeição cristã – Conforme o ensino de Wesley, cristãos podem alcançar um estado de perfeição prática. Isso significa uma falta de todo pecado voluntário, mediante a capacitação do Espírito Santo em sua vida. Perfeição cristã (ou santificação inteira), conforme Wesley, é "pureza de intenção; toda vida dedicada a Deus" e "a mente que estava em Cristo, nos capacita a andar como Cristo andou." Isso é "amar a Deus de todo o seu coração, e os outros como você mesmo".[21] Isso é 'uma restauração não apenas para favor, mas também para a imagem de Deus," nosso ser "encheu-se com a plenitude de Deus".[22] Wesley esclareceu que a perfeição cristã não implica perfeição física ou em uma infabilidade de julgamento. Para ele, significa que não devemos violar a longanimidade da vontade de Deus, por permanecer em transgressões involuntárias. A perfeição cristã coloca o sujeito sob a tentação, e por isso há a necessidade contínua de oração pelo perdão e santidade. Isso não é uma perfeição absoluta mas uma perfeição em amor. Além disso, Wesley nunca ensinou um salvação pela perfeição, mas preferiu dizer que "santidade perfeita é aceitável a Deus somente através de Jesus Cristo."[21]

Fonte: Wikipedia

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.10 - MOVIMENTO GOSPEL

Autor:  Salvador de Sousa
Edição: 3ª edição - 04/11/08 

 

O Movimento Gospel foi um acontecimento extraordinário e revolucionário ocorrido na música evangélica brasileira, no período compreendido entre 1989 a 1999. Foi uma época de profundas e variadas mudanças na música cristã, cujas conseqüências permanecem até hoje.
 
Foi chamado de movimento por ser um acontecimento extraordinário, de evolução e de tendência. Quanto à  palavra gospel, ela já era utilizada desde o início dos anos 80 pelo cantor country brasileiro MARTIN LUTERO, entretanto a partir de 1989 foi incorporada para dar nome a esse fenômeno. Ao que tudo indica o Movimento Gospel começou na Igreja Renascer em São Paulo, tendo a visão e iniciativa do empresário e pastor Estevan Hernandes. Foi ele  e o publicitário Antônio Carlos Abbud que criaram a gravadora Gospel Records, em 1990, para concretizar esse sonho de colocar a música evangélica em posição de destaque na indústria fonográfica brasileira. Outras gravadoras, como a Line Records e a MK Publicitá, que também surgiram nessa época, bem como  a antiga Bom Pastor colaboraram com a proposta musical do Movimento, lançando LPs e CDs de muitos cantores e grupos.
    
Provavelmente os dois referidos acima souberam do que estava acontecendo com a música cristã nos Estados Unidos nos anos 80, que estava sofrendo profundas transformações, especialmente com o sucesso de cantores e grupos cristãos de música pop e rock, os quais agitaram a sociedade norte-americana, como por exemplo as bandas Petra e Stryper. Obviamente os norte-americanos não adotaram o nome Movimento Gospel.
 
Como cheguei a esse período de 1989 a 1999? Em primeiro lugar eu vivi de perto esse fenômeno desde 1989, aqui em Brasília e em outras cidades brasileiras como São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, etc, indo a shows, lendo artigos, visitando lojas evangélicas, assistindo programas de rádio e televisão e, principalmente, comprando discos. Analisando uma parte da extensa discografia produzida nesse período, vendo o que há de comum dentro da música evangélica produzida, dá para a gente demarcar esse período com convicção.
 
Movimentos musicais duram geralmente uns 10 anos. Veja por exemplo o movimento da Jovem Guarda, no meio secular. Ele começou em 1959 e foi até 1969. Teve seu auge no primeiro qüinqüênio, entretanto, foi começando a esfriar a partir de 1966. O mesmo se deu com o Movimento Gospel ele iniciou ali em 1989, especialmente com as bandas de rock e de música pop, teve seu auge entre 1990 e 1994, e a partir de 1995 começou seu esfriamento vindo a acabar em 1999, quando muitos cantores e grupos foram desaparecendo do mercado e da mídia e os que ficaram foram mudando um pouco seu estilo, além de alguns saírem de seus grupos para a carreira-solo.
 
As muitas mudanças ocorridas na música evangélica brasileira durante o Movimento Gospel podem ser definidas através da palavra-chave crescimento. Obviamente se tratou de um crescimento extraordinário, fora do comum. Neste período há um crescimento da quantidade de cantores, cantoras, bandas, duplas, quartetos e conjuntos chegando à casa das centenas de nomes. Há crescimento da produção de discos pelos evangélicos tanto por gravadoras, quanto por produções independentes.

 

Há crescimento da quantidade de gravadoras e lojas evangélicas. Há crescimento da exploração de ritmos antes marginalizados pelos evangélicos, tais como o rock, reggae, rap, funk, samba, pagode, etc. Há crescimento do número de festivais de música evangélicas em busca de novos talentos. Há crescimento da presença musical dos evangélicos na mídia secular. Há crescimento do número de cantores e grupos que passaram a viver da música evangélica. Há crescimento da quantidade de discos que ultrapassaram a marca das 100.000 cópias. Infelizmente houve, também o crescimento de aspectos negativos tais como uma preocupação maior com as vendas e com o lucro, presença do corporativismo nas TVs e rádios evangélicas, estrelismo de cantores e grupos, brigas por questão de direitos autorais, ofuscamento dos cantores e grupos anteriores ao período, etc.
 
Alguns cantores, músicos e inúmeros evangélicos que viveram ou não essa fase de perto, por diversas razões que desconheço, tomaram uma postura crítica e antagônica ao Movimento Gospel, especialmente em relação à Igreja Renascer, na pessoa do Estevan Hernandez, bem como em relação à gravadora Gospel Records vinculado à essa igreja. Essa ojeriza, também, ocorreu em relação á gravadora MK Publicitá, que também havia abraçado a causa do Movimento Gospel. E são muitos os evangélicos que ainda têm forte oposição ao Movimento alegando que esse movimento mais prejudicou  do que ajudou a música evangélica e a carreira musical de muita gente. Alguns cantores ficam até hoje incomodados ao chamarem de gospel sua música, por pensarem que sua obra está sendo associada ao que consideram de pior na música evangélica.
 
Bom, para mim que estive ali acompanhando desde 1989, não concordo e nem compactuo com essa visão. Por acompanhar esse período como consumidor, comprando discos, indo a shows, ouvindo programas de rádio e lendo o que tinha acesso escrito na época, minha visão é mais tolerante. Isso não quer dizer que ache normal palavras e práticas pecaminosas ocorridas dentro do Movimento, assim como não acho correto difamação, ódio, vingança e falta de perdão. Entendo que tudo que tem seres humanos, haverá no meio problemas e pecados. Exemplo disso pode ser percebido em igrejas que crescem: elas vão ficando cheias de membros e obviamente com mais gente, mais problemas surgirão ou se tornarão mais evidentes e freqüentes. É claro que a gente nunca deve concordar com o pecado que as pessoas cometem, ma será que nas décadas anteriores não havia gente que procedia assim no meio musical?! Será que na atual década não teria gente que procede assim, também?!
 
O Movimento Gospel foi também uma bela fase da música evangélica brasileira. Impactou positivamente a música e as igrejas, pois foi um movimento que levantou a bandeira do evangelismo através da música. Por isso houve maior quantidade de canções contextualizadas para os problemas da vida, propondo solução em Jesus. Foi por isso se buscou uma linguagem mais acessível ao entendimento dos pecadores. Por isso os cantores e grupos evangélicos foram mais para as ruas, praças, esquinas, estádios e casas de shows seculares. Por isso se buscou uma melhor qualidade da música evangélica para que ela não fosse, por exemplo, vista com inferioridade diante da música secular. O resultado disso é que surgiram cantores e grupos evangélicos com qualidade igual e superior a muitos do meio secular. Outro fator positivo a se considerar é que muitas almas, que foram aos shows gospel, demonstraram simpatia e se interessaram não somente pela música, mas também pela igreja evangélica. Outro aspecto a se considerar é que o Movimento Gospel acabou com a timidez, a repressão que havia em muitos músicos, desabrochando-os para tocar música evangélica nos mais diversos estilos e linguagens. A música evangélica não ficou mais norte-americana com o Movimento, pelo contrário, surgiu muita música com cara brasileira e o foi período em que mais se produziu música em ritmos nacionais.
 
Pense em um cantor ou grupo evangélico que você mais gosta?........ Já pensou?...... Pois é, ele/a pode ter surgido dentro do Movimento Gospel, ou sua carreira tomou um grande salto dentro desse período, além da possibilidade de ter sofrido bastante influência de cantores e grupos desse período. Isso porque o Movimento Gospel foi bom para a maioria dos que vivenciavam a música evangélica. Existem exceções em tudo, porém os cantores e grupos que não se firmaram durante esse período, não era para ser mesmo. Em todas as épocas isso acontece, e as pessoas tomam outros rumos na vida. Nem sempre nossos planos vingam, mesmo consagrados a Deus. É que o Pai tem outros planos para as pessoas, pois creio que Ele agindo em algo que deseja, ninguém o impedirá.
 
O Movimento Gospel trouxe, também, mais uma opção para designar nossa música, ou seja a expressão “música gospel”. É claro que muita gente não gosta desse termo, inclusive cantores e grupos, especialmente críticos ao Movimento Gospel, porém esse termo tem suas vantagens. Além de ser uma expressão mais evangelística, é a que tem sido mais aceita, tanto na mídia evangélica quanto na mídia secular. É bem verdade que cantores e grupos, surgidos ou que cresceram dentro desse período estão em plena atividade hoje, e até mesmo mantendo os ideais do Movimento Gospel, todavia isso não significa que estão ainda vivenciando um movimento. O Movimento Gospel já passou. Ele acabou, mas deixou sua marca positiva, relevante e importante na música evangélica brasileira.


Fonte: http://www.arquivogospel.com.br/textos_v.asp?cod_texto=19

[Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.11 - LEGIÃO DA BOA VONTADE (LBV)

Legião da Boa Vontade (LBV) é uma entidade conhecida no Brasil por fazer assistência social. Os seus dirigentes também mantêm programação de rádio e televisão e atividade religiosa própria.

A LBV foi fundada oficialmente em 1º de janeiro de 1950, no Rio de Janeiro, Brasil, por Alziro Zarur. Ele presidiu a entidade até 1979, quando faleceu. José de Paiva Netto é o atual Diretor-Presidente.

A instituição também está presente em Portugal.

 

Histórico

De acordo com a LBV, Zarur participou de uma sessão espírita na Federação Espírita Brasileira, no Rio, em 1948, e na ocasião a médium Emília Ribeiro lhe disse: "Zarur, vi São Francisco ao seu lado o tempo todo e ele disse que é hora de começar". Com o coração tocado, começou, a partir deste fato, a procurar saber tudo sobre a vida do Santo de Assis. Leu o livro "Il Fioretti" que tinha em seu acervo e foi percebendo as coisas que deveria realizar.

Em 4 de março de 1949 ele iniciou o programa "Hora da Boa Vontade", pregando o "Apocalipse de Jesus", o que gerou um grande "impacto" nacional, pois muitas pessoas nunca haviam, sequer, pensado na palavra apocalipse, que em grego significa revelação. O público alvo da programação eram as pessoas que passavam por algum tipo de problema, independentemente de suas crenças, etnias ou classe sociais.

Com o sucesso do programa, Alziro Zarur fundou oficialmente, em 1º de janeiro de 1950, a Legião da Boa Vontade (LBV), que realizava atividades voltadas às comunidades carentes. Um dos principais ideais da LBV é o ecumenismo, que proporcionaria a congregação entre as pessoas. Alziro Zarur não construiu templos, pois dizia: "… a LBV não se preocupa em construir templos luxuosos, do modo que o fazem outras religiões humanas: cada legionário já é a igreja Viva do Cristo Vivo, do Deus eternamente Vivo.." (Revista Religião de Deus de 25 de dezembro de 1977).

Após a morte de Zarur em 1979, sua esposa Iracy Zarur sucedeu-o juntamente com seus filhos Paulo e Pedro, tendo tomado posse numa Assembléia Magna em dezembro de 1979 (Jornal Última Hora de 5 de dezembro de 1979). José de Paiva Netto tornou-se o presidente da instituição em 1980.

Outras instituições foram criadas a partir dela: a Religião de Deus (braço religioso) e a Fundação José de Paiva Netto (FJPN) (braço de comunicação).

 

LBV na ONU

A LBV foi a primeira organização não-governamental brasileira a associar-se ao Departamento de Informação Pública das Nações Unidas (DPI), a partir de 1994. Em 1999, tornou-se também a primeira ONG do Brasil a conquistar na ONU o status consultivo geral no Conselho Econômico e Social (Ecosoc). E, em 2000, passou a integrar a Conferência das ONGs com Relações Consultivas para as Nações Unidas (Congo), em Viena, na Áustria.

 

Concessão de canal à FJPN

Em março de 2001, a FJPN recebeu do Ministério das Comunicações a autorização para o funcionamento da Rede Mundial de Televisão, um canal de TV educativa, sem fins lucrativos, cujo propósito é ser um instrumento de apoio ao Terceiro Setor. Nesse mesmo período, uma investigação jornalística do jornal "O Globo" que faz parte das Organizações Globo,denunciou que o dinheiro doado pela população para as obras sociais da LBV era usado para outras finalidades.

O Conselho Nacional de Assistência Social (CNAS) negou à LBV a renovação do Certificado de Entidade Beneficente de Assistência Social (CEBAS) — mais conhecido como certificado de filantropia —, em 12 de junho de 2001, diante das acusações de pagamento indireto de remunerações para seus diretores; da doação de bens para a Fundação José de Paiva Netto (Instituída pela própria LBV), e do repasse financeiro à Religião de Deus. Essas práticas desrespeitariam o Decreto 2.536/98. A relatora do processo no Conselho foi Tânia Garib, e sua recomendação de voto foi seguida por todos os 18 conselheiros.

Contudo, a Legião da Boa Vontade apresentou sua defesa à Justiça e manteve seu certificado de filantropia sob liminar, não o perdendo em nenhum momento.

Dessa forma, o Ministério da Justiça renovou o certificado de Utilidade Pública da LBV, entendendo que as ditas "irregularidades" não passavam de acusações vazias. A conclusão do relatório do Processo 08015.012007/20002-97, assinado, em 26 de outubro de 2004, pelo Coordenador de Justiça, Títulos e Qualificação e pelo Diretor do Departamento de Justiça, Classificação, Títulos e Qualificação destaca que não foi comprovado o descumprimento de qualquer dos requisitos do artigo 1.º da Lei 91, de 28 de agosto de 1935, e nem a ocorrência de nenhuma das hipóteses previstas no artigo 6.º do Decreto 50.517/61, pelo que sugeriu o arquivamento do feito e a manutenção do título de utilidade pública à Legião da Boa Vontade.

O mesmo se deu no CNAS, que, por unanimidade do Conselho, reconsiderou a decisão anterior de cassar o CEBAS da LBV, tendo, até mesmo a Sra. Tânia Garib votado pela retificação do julgamento, que estava completamente eivado de nulidade.

 

1914: Nascimento de Alziro Zarur

25 de dezembro de 1914, Rio de Janeiro/RJ. Nasce Alziro Abraão Elias David Zarur, conhecido como Alziro Zarur, o fundador da Legião da Boa Vontade. Polêmico e carismático, Zarur foi um pregador entusiasta, popular e inovador do Evangelho e do Apocalipse de Jesus. Foi ainda o grande precursor do Ecumenismo Irrestrito no mundo. Tornou-se jornalista, radialista, escritor e poeta.

 

 

1926: Difusão do Ecumenismo

O jovem Alziro Zarur começava seu trabalho pioneiro de difusão da consciência ecumênica. Aos 12 anos, recebeu a intuição de que fundaria um movimento novo na história da Humanidade. Em discursos simples e profundos, falava da necessidade da união de religiões, povos, governantes e de todas as áreas do saber, em busca do entendimento entre os homens.

 

 

1941: Nascimento de José Simões de Paiva Netto

Paiva Netto Diretor-Presidente da Legião da Boa Vontade. Aos 15 anos, conheceu a LBV, tornando-se posteriormente o principal assessor de Alziro Zarur. Com o falecimento deste, assumiu a presidência da Instituição, que, sob seu comando, cresceu cerca de 100.000%, no Brasil e no Exterior, e passou a integrar a Organização das Nações Unidas (ONU). Paiva Netto é ainda jornalista, radialista, escritor e compositor.

 

1950: Fundação da LBV

Em 1o de janeiro de 1950, foi fundada, oficialmente, a Legião da Boa Vontade, que, desde então, vem promovendo a conciliação de todo o conhecimento humano e espiritual, numa poderosa força a serviço dos povos. Sem abrir mão do Ecumenismo Irrestrito, que a caracteriza em todos os aspectos da vivência humana, a LBV alicerça-se no Amor Fraterno do Cristianismo do Cristo, demonstrado em toda a sua atuação, mantendo-se por meio de campanhas comunitárias diversas, promoções beneficentes e doações variadas, que têm por esteio a Solidariedade. Tanto proporciona o socorro imediato aos aflitos, desesperançados e desabrigados

quanto promove a edificação do Ser Humano, pela iluminação de sua consciência, ampliando-lhe os horizontes — de forma que se mantenham sempre renovadas as esperanças —, além de fornecer-lhe elementos materiais e espirituais para a reestruturação da Vida e de reintegrá-lo na sociedade.

Fontes:

http://www.lbv.org/index.php/a-lbv-/historia-mainmenu-30

Wikipédia [Retornar página Principal]

 

108.2.6.7.12 - IGREJA BOLA DE NEVE

Bola de Neve Church ou Igreja Bola de Neve é uma denominação protestante pentecostal  fundada no ano 2000 pelo "apóstolo" Rinaldo Luís de Seixas Pereira ("Apóstolo Rina"). O nome "Bola de Neve" vem da proposta dos fundadores que tinham por objetivo propagar o trabalho como uma bola de neve, aumentando de tamanho e alcance ao longo do tempo.

Histórico

O pastor Rinaldo Luís era originalmente o responsável pelo ministério de evangelismo da Igreja Renascer. Após quatro anos e meio liderando este ministério, ele decidiu se emancipar da Igreja Renascer (que teve problemas judiciais em 2006), tendo a aceitação do Estevam Hernandes, e fundar sua própria denominação, a qual deu o mesmo nome do ministério que liderava, Bola de Neve. Sua idéia era abrir uma igreja neopentescostal, cujo público-alvo seriam jovens na faixa etária entre os 20 e os 35 anos, composto principalmente por pessoas de estilo alternativo, universitários, praticantes de esportes radicais e artistas. Liturgia informal, estilo inusitado de pregação e "louvores" em ritmo de pop, rock e reggae são algumas das estratégias que a igreja utiliza para atrair tal público.

O primeiro culto oficial foi realizado no bairro da Lapa, São Paulo, em 6 de janeiro de 2000. A partir de abril de 2010 a sede se localiza na antiga casa de shows Olympia, na Lapa, em São Paulo, e ainda conta com igrejas em quase todos os estados brasileiros, já somando mais de 150 em territorio nacional. Uma de suas estratégias empregadas para crescimento são as chamadas células, pequenos grupos que se reúnem nas casas de determinados membros da igreja, onde há liberdade para se tirar dúvidas e conversar sobre a Bíblia. Atualmente se encontra também em processo de expansão internacional, com igrejas presentes em Arequipa (Peru), Moscou (Rússia), Índia, e com núcleos em Florida (Pensacola), Los Angeles e San Diego (Estados Unidos), Sydney (Austrália), Bandar Seri Begawan (Brunei), mais recentemente Hawai e Assunção, Ciudad del Leste, Hernandarias e Luque (Paraguai), entre outros.[1] A Igreja Bola de Neve Church utiliza o mesmo sistema do movimento G12 criado pelo pastor Colombiano Cezar Castellanos Dominguez da Missão carismática internacional - MCI utilizando o sistema de células para expandir os membros de sua igreja.

Características

O slogan da igreja é "In Jesus We Trust" uma expressão em Inglês que quer dizer "Em Jesus Nós Confiamos" em Português.

O diferencial da igreja é um apelo voltado ao público informal, que ressalta características como ausência de dogmas, tradições e costumes religiosos, e a chamada "liberdade" de se poder seguir a Jesus sem precisar se converter a um estilo de vida muito distinto ao qual já se está acostumado e seguir um grande número de regras religiosas. A igreja também busca manter sua imagem associada à prática de esportes radicais, tais como surf e skate, sendo que muitos de seus templos possuem uma decoração baseada nestes esportes, o que acaba sendo a marca registrada da igreja.

Apesar da liberdade de culto a igreja tem a Bíblia como regra básica, defendendo princípios básicos do Cristianismo Protestante como a castidade antes do casamento, o não uso de drogas e álcool, não usar de mentira, não roubar, e adorar a Deus, Jesus Cristo, acima de todas as coisas. Como uma igreja pentecostal, crê no Espírito Santo como enviado de Deus para operar e realizar milagres e transformações na vida das pessoas.

Além disto, a igreja também desenvolve alguns projetos sociais tais como o projeto Nova Vida, que tem por objetivo ajudar dependentes químicos a se livrarem do vícios, assim como oferecer apoio aos co-dependentes/familiares. Outros trabalhos incluem projetos de inclusão social de moradores de rua e distribuição de cestas básicas à comunidades carentes. Mantêm também parcerias com clínicas de recuperação e até mesmo, em algumas cidades, parcerias com o Ministério Público local para a reabilitação de marginais à sociedade.

O Recrie, é um Ministério dentro da igreja voltado para empreendedores evangélicos e realiza reuniões mensais com palestras sobre princípios bíblicos e negócios, promovendo encontros, com temas direcionados ao mercado e empreendedorismo de acordo com a moral cristã.[2]

Matérias na mídia

  • Revista Veja, Edição 1964 (12 de julho de 2006) "Os novos pastores"

  • Revista Veja, Edição 2077 (10 de setembro de 2008) "Eles são diferentes. E adoram isso"

  • Revista Época (Edição 271) (em português)

  • Isto é Dinheiro Reportagem sobre a Bola Music

 

Fonte: Wikipedia   [Retornar página Principal]

 
 
 
 
 

 


 

 

 

   

Indice - compilado por Beraldo Figueiredo

Página Principal