Voltar - Compilado por Beraldo Lopes Figueiredo   - Voltar ao Menu  

Página Principal

05.10 -  ENERGIAS DA VIDA E DA MORTE

 

05.10.1 – AS ENERGIAS DO NASCIMENTO E DA MORTE:

Quando a mulher chega a puberdade sofre a intensificação de uma energética particular que existe em seus ovários. As tonalidades predominantes são: Ovário esquerdo (cor vermelha), ovário direito (cor amarela). No homem acontece algo similar nos testículos, porém com inversão nas energias por isso as cores são invertidas.

As cores tornam-se mais ativas nos ovários na hora da ovulação, e a cor se intensificará de acordo com o ovário que estiver liberando o óvulo.
O ovário esquerdo apresenta interesse particular, porque tem uma estreita ligação com o baço, que é um órgão extremamente importante no processo de concepção e da gravidez.

As energias irradiadas pelo vórtice do baço, predomina um vermelho intenso, alaranjado, diferente do vermelho do ovário, onda refinada com a nota Dó. No caso do baço ele está diretamente relacionado com o Vórtice magno do hepático de cor predominante Laranja.

O vórtice do Baço é essencialmente astral, superior a essência etérica e física.

O vórtice do baço está vinculado com os vórtices: Hepático, coronário e cardíaco aferentes através de canais etéricos específicos. Note que cada um desses vórtices pertencem a três esferas orgânicas diferentes: Digestiva, nervosa, cárdio-respiratório. O baço tem dois vermelhos, o do ovário esquerdo (etérico), o do baço (astral) com distintos graus de sutileza, tal cúmulo de energia se instala na mulher desde a puberdade e só deixa de existir na menopausa.


05.10.2 – ÓVULO FECUNDADO:

Quando um óvulo é fecundado pela ação de espermatozóide, geralmente essa fecundação acontece sempre no ovário esquerdo, porém existem casos de fecundação com um óvulo proveniente do óvário direito.

Quando a fecundação existe essa energia que fica no lado esquerdo, o cúmulo ela vai penetrando gradatativamente no óvulo fecundado em forma de um cone espirado, essa energética perietérica vai se formando entrando no sentido anti-horário, será o combustível do futuro ser que está se criando.

Primeiro Mês:
O embrião já possui alguns milímetros de longitude, de forma gradual a energia do cúmulo egóico energia astral de sentido horário começou a entrar em contato com o nível de energético em ordem crescente e gradativa.

Terceiro Mês:
Já se percebe a formação da coluna vertebral, dos vórtices, toda a trama energértica de cor brilhante.

Quinto Mês:

O cúmulo egóico já tomou contato com toda a área cardíaca da futura criatura, sempre baixando de ângulo, estando agora numa referência de nível horizontal.

Sétimo Mês:
os principais vórtices do corpo etérico do feto estão praticamente organizados, o cúmulo egóico já penetrou todo, sistema cardíaco, digestivo, nervoso e por fim o respiratório estão já se acham conectados. Nota-se que a entrada do cúmulo egoico (ego), é de uma forma crescente da energia quântica, sempre introduzindo-se no embrião. Nota-se que o nascimento é um processo energético caracterizado pelo ação de repulsão da criatura do ventre materno.

Biorritmos:
Quando a criança dá a primeira golfada de ar, começam a influir além de outros elementos, três ritmos energéticos etéricos conhecidos como biorritmos. Este ternário opera durante toda a vida terrena da criatura.

Após o nascimento da criança prossegue paulatinamente a conexão das faixas de energia que ainda não tomaram firme contato com o soma (corpo físico). Esse processo de energias do mais alto nível, leva em torno de alguns anos (entre 6 e 7 anos) para formarem o ser espiritual completo .

 

Todos os pais deveriam saber o período delicado que é a infância e esses cuidados devem ir até a adolescência. As energias ambientais influem no formação da criança. Os sistemas educativos e governamentais por não saberem disso não se preocupam com as crianças soltas nas ruas.

05.10.3MORTE:

  • C1: Produzido o decesso, começa o desprendimento, das energias astrais, duplo etérico. As etéricas começam a descer em direção a terra gradualmente. As energias astrais dos pés a cabeça começam a deslocar-se pelos chacras magnos, para cima como mostra a figura;

  • C2: Note que abaixo da carcaça física, as densidades etéricas descem enquanto que as energias astrais sobem;

  • C3: Energias astrais (aura, corpo astral e mental) se estruturam acima do corpo e a matéria etérica fica presa ao corpo, abaixo deste;

  • C4: Energias astrais já estruturadas, dão fim ao processo post- mortem básico, energias etéricas também tendem a se despreender, enquanto as energias astrais sobem as etéricas descem para a terra.


05.10.4 – MORTE NATURAL:
A medida que se consome o peritérico (“combustível vital”) que está situado entre o corpo etérico e o astral interno, sua espessura vai se tornando mais delgada. Como a energia etérico possui o mesmo sentido de giro do astral interno elas não se interpenetram, com a diminuição do perietérico a tendência é de repulsão entre o astral interno (aura) e a energia etérica, ocorrendo a morte biológica.

Por outro quando menor a diferença com o campo egóico (plano astral) e o plano etérico, mais próximo das experiências extra sensoriais, muito comum nas pessoas de idade avançada, sem invadir crenças, conduta moral, ética, forma de viver.

Pode também suceder que, pelo processo de repulsões energética, exista uma ruptura brusca dos ligamentos vorticianos do plano etérico com o plano astral interno, como paradas cardíacas, mau súbitos, ocorrendo no caso a morte física.

Nota-se no processo da morte imediatamente começa o processo de desprendimento das energias, cada uma voltando aos seus respectivos planos.

A energética do corpo etérico começa a resumir-se na parte posterior do corpo, sempre na parte do corpo que está no solo, na terra, saindo para baixo, para o plano terra, essa energia pertence a terra e para lá volta.

A energética Egóica (Astral interno -Aura) pertence ao plano astral, começa a desprender-se, paulatinamente sempre no sentido dos pés para a cabeça, nas mortes naturais o corpo espiritual e o astral interno saem pela cabeça, iniciado pelo vórtices (chakras) sacro, hepático, umbilical e diversos vórtices grandes dos membros inferiores, finalizando a saída sempre no coronário.

Ainda restam desprender-se as energias dos vórtices (chakras) coronário e hipófise e coronário que saem finalizando o processo post-mortem pelo vórtice coronário. As energias astrais agrupam-se fora do corpo acima da cabeça, organizando-se em forma de cúmulo. Percebe-se no centro o núcleo. (ráquis energético).

05.10.5 –  MORTE POR ACIDENTE OU SUICÍDIO:

No caso de morte trágica, o processo é o mesmo do descrito acima, porém leva mais tempo para o desprendimento. A principal causa dessa longa demora, é porque o peritérico “COMBUSTÍVEL”, prende as duas energéticas no corpo que vai se decompondo, prendendo junto o corpo astral.

Para se fazer entender em termos de tempo, o processo de morte natural que dura entre 3 dias e o mais tardar algumas semanas, já na morte trágica de um jovem, pode durar de alguns meses até 2 ou 3 anos, sempre dependendo da quantidade de energética perietérica, que embora se desprenda pela decomposição total do corpo físico atrasa as resoluções.

No caso do suicídio, além da interrupção brusca do corpo com a bastante energia perietérica , o fato mais agravante são as vibrações baixas produzidas pelo ato. Existem casos que podem durar dezenas e até centenas de anos, que o corpo astral. Durante o processo , as energias egóicas permanecem a essa energética densa, conectadas com partículas do corpo que no caso já não existe mais, mas mantém-se semimaterial no plano etérico com sua densidade e baixa vibração.

Deve-se ressaltar que o suicídio, não é a forma ideal de livrar-se dos problemas terrestres, talvez por isso, explique-se que o instinto tem sua própria inteligência em existir como defensor primordial da VIDA.

Sem dúvida quando vimos alguém arrasado, acabado, ainda agarrado na vida pelo seu instinto de sobrevivência, entende-se dessa forma, como uma medida crucialmente importante, até protetiva.

Anterior

Proximo

Fonte:

Lívio Vinardi -Anatomía Energética

- Escrito em Espanhol, não possui tradução em Português - Somente em inglês.

Voltar - Compilado por Beraldo Lopes Figueiredo   - Voltar ao Menu  

Página Principal